Translate

domingo, 13 de setembro de 2009

NOVIDADE NO TRÂNSITO


NOVIDADE NO TRÂNSITO
Leitores de olho nas infrações
Campanha Novo Sinal incentiva pedestres a estender a mão para solicitar passagem em faixas de segurança sem sinaleira
Os leitores de Zero Hora estão convidados a assumir um papel chave na campanha de trânsito Novo Sinal, que pretende mudar hábitos e tornar mais seguro o trânsito.
Em fotos e vídeos, flagrantes de desrespeito às faixas de segurança podem ser enviados ao site do jornal.Divulgada na quarta-feira, a iniciativa da prefeitura de Porto Alegre está deixando motoristas e pedestres mais atentos a um gesto: o braço estendido com a palma da mão exposta.
Quem circula ao volante terá de se acostumar à prática dos pedestres que precisarem atravessar as vias utilizando as faixas de segurança nos pontos onde não há sinaleiras.
Diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Luiz Afonso Senna comemora o engajamento e se mostra confiante na disseminação da novidade para outras cidades e Estados, de onde o site http://www.novosinal.com.br/ vem recebendo um número expressivo de e-mails.– Com os flagrantes, as pessoas vão começar a se identificar errando. Precisamos corrigir os nossos erros.
É assim que vamos mudar a realidade da cidade e do Rio Grande do Sul – avalia.A campanha será dividida em três etapas.
Na primeira, objetivo será fazer as pessoas assimilarem o sinal da mão estendida. Na segunda, em outubro, personalidades farão o gesto em anúncios. Na terceira, a população poderá enviar suas próprias imagens à prefeitura, com a possibilidade de tê-las afixadas em ônibus.Pelo telefone (51) 3289-4444 e pela internet, é possível fazer sugestões e reclamações.
A iniciativa
- Qual a função do novo sinal de trânsito? Ajudar o pedestre a atravessar a rua na faixa e deixar o trânsito da cidade mais seguro para todos.
- Em que situações o pedestre deve fazer o sinal? Sempre que for atravessar em uma faixa onde não tenha sinaleira.
- Quando o novo sinal não deve ser feito? Onde existe sinaleira. Nesse caso, o pedestre deve respeitar a indicação luminosa e esperar a sua vez para atravessar. O novo sinal também não deve ser feito onde não tem faixa de pedestres. Por isso, atravesse sempre na faixa.
- Como o pedestre atravessa a rua onde não tem faixa? Se tiver uma faixa a 50 metros ou menos, deve atravessar na faixa. Onde não tiver faixa, deve olhar para os dois lados e atravessar em linha reta sem correr.
- Como o condutor deve proceder ao ver o pedestre fazendo o novo sinal na faixa de segurança? O condutor sempre deve parar o veículo ao ver o pedestre fazendo o sinal na faixa. O condutor não deve dirigir “recortando” entre os outros veículos, para não correr o risco de não ver o pedestre iniciando a travessia na faixa.
- O novo sinal de trânsito é lei?
O novo sinal não é lei, mas usar e respeitar a faixa de pedestres é e está no Código de Trânsito Brasileiro (Lei nº 9.503/97).
Fonte:ZERO HORA.com, 12/09/09

8 comentários:

Mariana disse...

Estou achando bem positivo esta campanha.
Torço que dê continuidade e seja seguida por muitas cidades.

Ricardo Conceição disse...

Quero ver até quando teremos a campanha no começo tudo é novidade depois...é que faz a diferença.

Lina Querubim disse...

Olá boa noite!
Venho aqui agradecer por ter visitado o meu blog. Lamento muito a sua perda :( a sua filha era linda!!!!
A vida continua e a sua ajuda é reflexo da Luz que ela emana para si!
Beijinhos e fique com os Anjos
Lina

alegria de viver disse...

Olá
Obrigada pela visita.
Os anjos nos ajudam, vai dar certo é muito positiva esta novidade no trânsito.
Meu carinho BJS.

Jeanne disse...

Sou pedestre em Porto Alegre e sofro as consequencias todos os dias, tendo que atravessar correndo na faixa.
Gostei da iniciativa, mas sinceramente tenho medo, nossos motoristas são muito agressivos, em alguma situação pode um parar e os outros não, e aí como é que fica? :(
Vou dar tempo ao tempo, vibrando para que a iniciativa seja vitoriosa e finalmente a gente tenha um transito mais humano, melhorando assim nossa qualidade de vida.
Fica com Deus, beijos

Mariz disse...

Salvé!

Grata pelo seu comentário.
Eu convivo muito bem com a "morte"...desde há 10 anos, aquando do meu "despertar" e fui levada até ao plano das almas, para aí ser informada do que se sentiria e ver o que por lá se passava!
Na altura eu estava muito mal....
Regressei e transformei a minha vida em 180º - neste caso 360º porque nasci de novo.
Nao tive doença alguma, não sofri acidente algum...apenas falta forças simplesmente - Ffalta de energia...quase morri. Agora a minha vida é mais atenta mais grata e amo falar de Deus e de toda Sua Creação! Percebo os "insights", ouço os "recados" dentro de mim, e agradeço tudo - até a água que bebo.
Do muito que tinha - materialmente falando - hoje nada tenho. vivo numa zona no campo e o mar a 700m.
Só o silêncio e o ruído do vento, da chuva e do mar, mais o canto das aves, quebram a calma.Vivo como eremita, com os meus 3 cães que adoptei e mais 1 gata com 3 crias de 4 meses.
Deixei de ter medo da morte, porque quando fui LÀ, vi todos aqueles que já tinham partido e todos eles me diziam adeus e me chamavam, contentes por me verem chegar. Só que eu fiquei a planar em pé, sem colocar os pés naquela imensa pradaria, com uma claridade estranha de luz branca enevoada.
Quero deixar-lhe uma mensagem: a sua filha terminou o programa ou projecto a que a sua alma se propôs cumprir, - pois é ela, alma. que decide quando está pronta para sair do corpo e continuar a sua aprendizagem para evoluir mais e melhor!
Nunca sabemos quando esse momento chega e como largamos este corpo físico
Se quer que lhe diga? preferira LÀ ter ficado? Sim! A pax é demais, a serenidade, a sensação de conforto, de calma, de bem estar, é INEXPLICÁVEL!
Portanto, acho lindamente que o seu blog possua essa vertente de alerta para todos os que andam nas estradas, mas poderia ter acontecido outra coisa qualquer....e a sua vertente já seria outra. entende?
O que interessa aqui, é ACEITAR e pedir ao céu, e a QUEM acreditar que a sua menina esteja bem e em pax! Porque só largamos esta carne pele, ossos e sangue.; porque todos os nossos corpos energéticos/subtis continuam vivos: o corpo astral, o mental, o emocional e santo - como lhe chamo. Aí já estaremos na LUZ de Deus. Até LÀ chegar, temos ainda de ultrapassar muitas etapas!
Portanto viva e deixe viver a sua menina linda...em alegria, amor e dê-lhe espaço para ela aprender e não se preocupar com os que cá ficaram ...porque eles, os que já partiram não devem ser importunados com os nossos sentimentos...pois estão em constante evolução e não"presos" a este plano que é inferior áquele onde ela se encontra agora!
Penso que era importante transmitir-lhe isto! - Por experiência própria.
Depois disto...fica ao seu critério ter saudades dolorosas - ao que equivale ela também ficar triste e não ser ajudada a ultrapassar esse apego!
Alivie-a! É essa também a nossa missão para com todos os que já partiram; não mais lhes criarmos pesos devido aos apegos! E esperar sim, com calma e serenidade, orando sempre, o dia em que voltemos a abraçarmo-nos!
que Deus a proteja e também a si.
Grata por me ter lido
Sempre...
MAriz

Maria Emília disse...

Cara amiga Lisette,
Tinha exactamente a sua idade quando fundei A Nossa Âncora
http://www.anossaancora.org.
Também a minha filha Mónica morreu com 18 anos num acidente de automóvel. Não tenho a mínima dúvida que elas estão bem e que um dia nos vamos encontrar. Para si, com um ano de luto, não vou mentir: vai ter que comer o pão que o diabo amassou, vai ter que lutar, não vai ser fácil, mas vai sentir sempre uma força presente, ausente, que a vai ajudar a vencer todos os obstáculos, a curar todas as dores, a sarar todas as feridas. Ajudar os outros é a melhor forma de se ajudar a si própria. À medida que as coisas vão acontecendo irá sentindo que todo o esforço valeu a pena. A vida passará a ter para si uma dimensão e uma valor que jamais ousaria imaginar.
Estarei sempre pronta para a ajudar em tudo o que estiver ao meu alcance.
A todos os pais da "Alerta" eu gostaria de dizer:
Ser fiel aos que morreram não é fechar-se na sua dor. É preciso continuar a sulcar o nosso caminho, de forma determinada e profunda, com algumas rectas e outros tantos desvios, tal como eles próprios o teriam feito. Como nós o teríamos feito com eles e também por eles. Para se tornar mais suportável e comprensível, o sofrimento deve ser manifestado e partilhado. Quanto maior for o número daqueles que partilham não só as suas ideias, sofrimentos e dores, mas também as suas esperanças, experiências e alegrias, maior será o testemunho sobre aqueles que amparámos e acompanhámos a crescer através do seu desespero no superar de limites antes inimaginados.
Nesta grande família que somos todos nós os que viram partir os seus filhos, poderemos aprender que a vida é uma faísca que cada um de nós pode transformar numa chama ardente que nunca mais se apaga. Dar e amar são os únicos combustíveis que aumentam a intensidade dessa chama. Tudo aquilo que não se der, perde-se.
Um forte abraço,
Maria Emília Pires

Fernanda Guerra disse...

Respeito!!!!!!!!