Translate

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Acredite sempre, tudo pode ser melhor....luz em 2015






A vida é nosso maior milagre, a cada dia temos a oportunidade de sermos pessoas melhores com humildade e sabedoria, podemos mudar mas para isso precisamos viver de verdade sair da fantasia e criar páginas novas em nossa história, saber escrever com sintonia no coração ele é nosso maior guia.
Ninguém nos falou  que seria fácil viver, ninguém nos deu um livro de receita para vida, ela é um milagre a cada descoberta, a cada sentimento experimentado de dor ou alegria sentida na pele.
 Só tem um sentimento verdadeiro que é o amor, o verdadeiro amor ele supera qualquer barreira, supera qualquer tristeza ele nos faz ir além, querer mais, voar, ele é nossa  maior conquista, podemos amar de qualquer lugar e de qualquer jeito, a qualquer hora, sem tempo pois tempo é ilusório, ele já passou, já é passado.
Cada  um tem sua maneira de amar,que assim seja...amar e dar amor basta permitir se envolver por ele e com ternura fluir para vida....
 Que 2015 seja repleto de amor em cada coração sendo assim poderemos viver em paz....
Beijo Lisette Feijo.

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Palestra na semana SIPAT na OGMO Portuário.






OGMO - Órgão de Gestão de Mão-de-Obra
Lei 8.630/93 - Os Operadores Portuários, devem constituir, em cada porto organizado, um órgão de gestão de mão-de-obra do trabalho portuário, tendo como finalidade:
  • I - administrar o fornecimento da mão-de-obra do trabalhador portuário e do trabalhador portuário-avulso;
  • II - manter, com exclusividade, o cadastro do trabalhador portuário e o registro do trabalhador portuário avulso;
  • III - promover o treinamento e a habilitação profissional do trabalhador portuário, inscrevendo-o no cadastro;
  • IV - selecionar e registrar o trabalhador portuário avulso;
  • V - estabelecer o número de vagas, a forma e a periodicidade para acesso ao registro do trabalhador portuário avulso;
  • VI - expedir os documentos de identificação do trabalhador portuário;
  • VII - arrecadar e repassar, aos respectivos beneficiários, os valores devidos pelos operadores portuários, relativos à remuneração do trabalhador portuário avulso e aos correspondentes encargos fiscais, sociais e previdenciários.
Missão
Assegurar à sociedade a adequada prestação de serviços de transporte aquaviário e de exploração da infraestrutura portuária e hidroviária, garantindo condições de competitividade e harmonizando os interesses público e privado.

Visão
Ser reconhecida por seu papel relevante na logística e eficiência do transporte, como indutora do desenvolvimento econômico e social e considerada por seus servidores a melhor agência reguladora para se trabalhar.
Valores

  • Excelência Técnica
  • Espírito de equipe
  • Comprometimento
  • Proatividade
  • Transparência
  • Responsabilidade Social
  • Imparcialidade
Palestrante Lisette Feijó

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Ong Alerta faz palestra na semana SIPAT, empresa Darcy Pacheco.

O Grupo Darcy Pacheco é referência na prestação de serviços com guindastes, a empresa tem como foco, o atendimento a grandes obras e empreendimentos. Hoje atendemos a diferentes setores da economia, industrial, comercial e construção civil.

Trabalhamos com os equipamentos mais modernos do mundo. Operações simples ou complexas, com capacidade inferior ou superior a 750 toneladas, são viabilizadas mediante projetos com foco no planejamento e no comprometimento técnico da equipe que tem a missão de prestar a “MELHOR” solução de peso aos seus clientes.

Estrutura física própria e área total superior a 100.000². Sede em Porto Alegre e Filial em São Leopoldo, Rio Grande no Rio Grande do Sul, a Darcy Pacheco Soluções de Peso disponibiliza também área coberta ou descoberta para operações internas e armazenamento. Atendendo sempre com qualidade no Brasil e também na América Latina.
SEGURANÇA, AGILIDADE E COMPETÊNCIA são valores que acompanham a empresa em todos seus projetos.

                              

MISSÃO Prestar a melhor solução em transporte vertical e horizontal com segurança e respeito ao meio ambiente.

Palestrante Lisette Feijó

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Ong Alerta particicpa da semana Sipat na Carris



Carris POA 14 de outubro · Editado #Sipat Dando continuidade às atividades da Semana Interna de Prevenção a Acidentes de Trabalho (Sipat) na Carris, nesta terça-feira (14) foi a vez da equipe da EPTC ministrar a palestra “Comportamento Seguro no Trânsito”.

Os colaboradores trataram de temas como a evolução do trânsito e o comportamento humano, com direito a encenação teatral. Ontem, Lisette Feijó, presidente da ONG Alerta, chamou atenção dos colaboradores ao palestrar do alto de um ônibus da linha Turismo, no pátio da Companhia.

 Lisette falou sobre a importância da atenção no trânsito e do cuidado com a vida. Também trouxe exemplos reais do comportamento na direção, alertando o público – enquanto motoristas e pedestres - com cuidados diários.

A ótica De Conto realiza exames de acuidade visual durante todo o dia. O encerramento da Sipat (Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho) acontece amanhã, a partir das 14, na sede da Carris. Foto de Carris POA.
Palestrante Lisette Feijó

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Ong Alerta participa da semana SIPAT na Expresso Rio Guaíba.

A Expresso Rio Guaíba Ltda, foi fundada em 9 de outubro de 1961, tendo como objetivo o atendimento da comunidade por meio da exploração dos serviços de transporte coletivo entre os municípios de Guaíba e Porto Alegre, cuja ligação rodoviária através da BR-116, foi viabilizada após a inauguração da Travessia Eng. Régis Bittencourt (BR-116/Sul). Antes o transporte entre essas duas localidades era feito unicamente via fluvial no Lago Guaíba.

 A sede da empresa foi construída em Guaíba, onde permanece até os dias atuais. Sua frota era inicialmente constituída por 03 ônibus marca Mercedes-Benz e carroceria Eliziário, anos 1959 e 1961 que executavam duas linhas: uma via estrada federal (BR-116) e outra via estrada Estadual (Sans Souci). Foram sócios-fundadores a Empresa Citral Ltda, Expresso Frederes S/A e os Srs. Cristiano M. Silveira, Hilário Scherer e Augusto Calcagnotto. 

No ano de 1966 o controle acionário passou para a família Piccoli que o mantém até os dias atuais. Com o desenvolvimento da região, a Expresso Rio Guaíba Ltda., atenta às necessidades de seus usuários, passou a oferecer uma gama mais diversificada de serviços, agregando novas linhas, novas tecnologias, ampliando sua frota e colocando mais horários à disposição da comunidade. 

Atualmente, a empresa opera em dois segmentos do transporte intermunicipal de passageiros: No Metropolitano Servindo a ligação entre os municípios de Guaíba, Eldorado do Sul e Porto Alegre através de 36 linhas, utilizando 157 veículos, realizando uma média de 25.000 viagens mensais, rodando 800.000 km/mês e transportando cerca de 800.000 passageiros por mês. 

No Longo Curso Servindo a ligação entre os municípios de Porto Alegre, Eldorado do Sul, Guaíba, Barra do Ribeiro, Tapes, Arambaré, e Camaquã com 4 linhas, utilizando 18 veículos, realizando uma média de 1.200 viagens mensais, rodando 70.000 km/mês e transportando cerca de 40.000 passageiros por mês. 

Além da sede em Guaíba, a empresa possui filial em Porto Alegre e bases operacionais em Barra do Ribeiro e Camaquã. Ela conta ao todo com 700 colaboradores em seu quadro funcional e cerca de 2.000 dependentes. É a maior empregadora privada da cidade de Guaíba.

Palestrante Lisette Feijó



segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Palestra na viação Belém Novo, semana SIPAT.

P
O modelo de Gestão de Responsabilidade Social adotado pela Belém Novo vem em resposta às mudanças socioeconômicas vivenciadas em uma era marcada por inúmeros avanços científicos e tecnológicos e seu reflexo na qualidade de vida das pessoas. Entendemos que somos não somente uma organização geradora de empregos, mas também comprometida com o desenvolvimento social e comunitário.

Para tal, assumimos o constante desafio de conscientizar e mobilizar as pessoas ao nosso redor fazendo da Belém Novo uma Empresa Cidadã. A relação de transparência é estabelecida à medida que definimos as comunidades chaves e os focos de ênfase, ambas usadas como critério para a atuação e aplicação dos recursos disponíveis tanto financeiros quanto humanos.
Mais um ano em que a ONG Alerta participa da semana de SIPAT na viação Belém Novo, obrigada.

Palestrante Lisette Feijó

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Carreata Gigantes da Estrada em Defesa da Segurança no Trânsito.


“Amigos”,

Muito bom dia!

Nós do Grupo Darcy Pacheco agradecemos a participação de todos em nossa carreata, Gigantes da Estrada em Defesa da Segurança no Trânsito

Foram 74 veículos155 participantes05 entidades – SETCERGS, Fundação Thiago de Moraes Gonzaga, Instituto Zero Acidente, ONG Alerta e ONG Não foi acidente.  

Agradecimento especial para a Polícia Rodoviária Federal, EPTC e Brigada Militar, sem os quais, não seria possível a realização de nossa ação.  

Acreditamos que a ações em conjunto, como realizamos ontem, poderemos unir ainda mais as nossas forças, nossas ideias, e  contribuir para melhorar a atual realidade de nosso Trânsito, cujas estatísticas são alarmantes.

Pode ser difícil, mas não significa impossível, até porque não existe o impossível, desde que possamos nos dedicar a um objetivo comum, com energia, vontade, superação e, colocando a Vida em primeiro lugar.

Parabéns para todos nós, onde conseguimos mostrar não apenas para a cidade de Porto Alegre, mas para todo o Rio Grande do Sul (através da divulgação nos programas Teledomingo e Bom Dia Rio Grande da RBS TV) que há sim pessoas, profissionais, empresas e entidades que se importam  com o Trânsito e não esperam acontecer, fizemos acontecer.

Muito Sucesso a todos nós, onde o Céu e o Sol que nos brindaram ontem com a sua beleza, nos deram também a mensagem de que, se fizermos o Bem, sempre teremos ajuda superior (como queiram pensar ou imaginar, dentro do coração e razão de cada um de nós).

Uma ótima semana a todos, até breve!

domingo, 7 de setembro de 2014

Cinto de segurança inteligente pode ajudar a salvar vidas no trânsito

Avaliar:



  • carro
  • Segurança
  • tecnologia vestível
  • Trânsito



 Share2  


Com a popularização dos dispositivos vestíveis, começam a surgir ideias que usem esse tipo de tecnologia para tentar salvar vidas. Uma delas está em desenvolvimento na Europa e pode ajudar a diminuir os acidentes de trânsito.
Trata-se de um conjunto de sensores que, acoplados ao banco e ao cinto do motorista, monitoram sua respiração e a frequência de batimentos cardíacos a fim de detectar efeitos de fadiga - se ele começar a cair no sono, por exemplo -causa de 30% dos acidentes fatais na Europa.
Chamado de Harken, o sistema é criação de um consórcio com empresas, universidades e centros de tecnologia que formam o Instituto de Biomecânica de Valência (IBV). "A variação nas frequências cardíaca e respiratória são bons indicadores do estado do condutor, já que estão relacionados a fadiga", comenta, em nota, José Solaz, diretor da IBV.
Os pesquisadores já passaram para a fase de testes em ambientes controlados e conversam com fornecedores de componentes da indústria automobilística para tentar colocar o sistema no mercado em breve.

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Estrada que brilha no escuro é aberta na Holanda!

Estrada brilha no escuro na Holanda (AFP)
Pintura usada em estrada se 'carrega' durante o dia e libera um brilho verde à noite.
Um trecho de uma estrada na Holanda recebeu uma pintura especial que brilha no escuro, com o objetivo de aumentar sua segurança sem gastar muita energia.
A pintura contém um pó que é carregado durante o dia e, lentamente, libera um brilho verde à noite, eliminando a necessidade de iluminação pública.



A tecnologia está sendo testada em um trecho de 500 m, e o lançamento oficial é previsto para o final deste mês.O artista interativo Daan Roosegaarde se associou à empresa de engenharia civil holandesa Heijmans para implantar a ideia.
É a primeira vez que as "faixas que brilham" são implantadas em uma estrada - a N329 em Oss, cerca de 100 quilômetros a sudeste de Amsterdã.
Uma vez carregada, a faixa pode brilhar por até oito horas no escuro.

Incentivar a inovação

"O governo está apagando a iluminação pública à noite para economizar dinheiro, a energia está se tornando muito mais importante do que poderíamos ter imaginado há 50 anos", disse Roosegaarde à BBC no ano passado. "Este (projeto na estrada) é sobre segurança e com o foco em um mundo mais autossustentável e mais interativo."
Entre os projetos anteriores de Roosegaarde está uma pista de dança com luzes alimentadas por movimentos dos dançarinos.
A Heijmans já estava trabalhando em projetos envolvendo postes de energia neutros quando o Roosegaarde se associou à empresa.
Heijmans disse que a tecnologia também é "uma alternativa sustentável para lugares onde não há iluminação convencional".

Projeto piloto

Estrada brilha no escuro na holanda (Studio Roosegaarde)
Criadores da tecnologia esperam usá-la para informar sobre o clima
A inovação nas estradas deve ser incentivada, disse o professor Pete Thomas, do Centro de Investigação de Segurança de Transportes da Universidade de Loughborough (Grã-Bretanha), mas novas tecnologias precisam ser testadas e sua eficácia em segurança precisa ser comparada com tecnologia já existente, como os tradicionais marcadores em estradas que brilham com a luz dos faróis dos automóveis.
"Colocar essa tecnologia em todas as estradas sem iluminação seria um grande investimento. Por isso, precisamos de provas concretas sobre como isso se compara com (a tecnologia) que já temos", disse ele.
Inicialmente, a equipe também tinha planos de desenvolver símbolos que apareceriam na estrada uma vez que a temperatura externa chegasse a um determinado nível. A mistura de tinta sensível à temperatura seria usada para criar símbolos gigantes em formas de flocos de neve na pista para alertar os usuários de que a pista da estrada poderia estar congelada.
O trecho atual da estrada em Oss não inclui esta tecnologia sensível à temperatura.

O projeto ainda está em testes e espera-se que possa ser expandido internacionalmente ainda neste ano. A imprensa holandesa informou que a Heijmans está interessada em usar a tinta em outras estradas, mas que nenhum contrato havia sido negociado.

domingo, 6 de julho de 2014

Cuidar da vida no trânsito é causa HUMANITÁRIA!



Quando se fala em causa humanitária logo vem a mente campanhas mundiais como “salve as crianças africanas da fome”, “salve as meninas indianas de estupros”, “ajude os médicos sem fronteiras” e tantas outras causas nobres. Mas, considerando os mortos, feridos e sequelados em acidentes, temos pela frente a causa humanitária e o desafio de protegermos a vida no trânsito. A nossa e a dos outros.

O que torna os cuidados com a vida e a segurança no trânsito uma causa humanitária é que o trânsito é feito, acima de tudo, por pessoas, por vidas humanas e não pelos pseudo encouraçados de lata sobre motores e rodas.

Trânsito é feito de gente, até porque os veículos não saem por aí sozinhos. E é essa gente que conduz os veículos e que mais mata e morre no trânsito que transforma os acidentes em genocídio (assassinato deliberado de pessoas) e em problema de saúde pública.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS) os acidentes de trânsito são considerados epidemia, e já no ano de 1900, o Ministro do STJ, Viveiros de Castro, dizia que os acidentes automobilísticos já se constituíam uma epidemia tão mortífera quanto a febre amarela. Passados 114 anos, é difícil alguém morrer de febre amarela, mas em acidentes as mortes são diárias.

O que morre de pessoas no trânsito no Brasil dá para encher os 12 estádios da Copa do Mundo, o equivalente à queda de um avião da Malaysian Airlines por dia.
Por mais que se insista em olhar para as estatísticas como números e ao comentar as mortes diárias no trânsito como “mais uma”, não se trata de números nem de estatísticas, tampouco de percentuais. Tratam-se de vidas humanas que poderiam ser poupadas ainda tão cedo para que pudessem continuar entre nós, entre suas famílias órfãs. Para que continuassem simplesmente a viver.

Os acidentes de trânsito não escolhem suas vítimas, assim como quem morre nunca tem escolha diante da sentença imposta por alguém que cometeu uma infração que se transformou em acidente, dor e sofrimento.
Em minhas palestras e artigos procuro tratar o assunto sempre de forma cautelosa e respeitosa, pois nunca se sabe quem entre as pessoas está vivenciando o momento da perda de uma vida dessa forma.
Mortes no trânsito mudam o curso de tudo e vão até contra as leis da natureza que dizem que não é normal os pais, muitos deles idosos, enterrarem seus filhos.

O que caracteriza uma causa humanitária é a luta para proteger a vida de bebês, crianças, pessoas de idade mediana e idosos contra toda forma de opressão, de violência, de desumanidade, de atrocidades, de abusos e da afronta à dignidade e aos direitos humanos. Lembrando que a bandeira dos direitos humanos e de todas as causas humanitárias é a vida!

O que dizer, então, das consequências dos acidentes de trânsito (mortes, sequelas temporárias e permanentes, custos intangíveis) que ferem o mais humano dos direitos que é manter-se vivo?
Se pararmos para lançar um olhar sensível para o trânsito e as consequências dos acidentes veremos tanta ou mais opressão, violência, desumanidade, atrocidades, abusos e afrontas à dignidade humana do que em qualquer governo tirano ou guerras mundiais.

Ou serás que atropelar, arrancar membros de ciclistas e jogar em valas fétidas para se livrar do “problema” não é uma afronta a dignidade humana?
Como deveríamos nos reportar ao ato de arrastar o corpo de uma mulher no asfalto abrasivo por cerca 800 metros e ainda tentar se livrar do corpo fazendo manobras com o carro? Barbaridade? Desumanidade?
Quando uma pessoa é atropelada e fica presa ao capô ou parabrisas do veículo e ainda assim o condutor continua dirigindo em fuga, o quanto de afronta à vida e tirania existe nessa violência?
Basta presenciar a fragilidade do corpo humano em um atropelamento para entender melhor sobre violência desmedida. Basta olhar para recém-nascidos e prematuros que receberão o primeiro carinho da estufa porque a mãe, ainda gestante, foi morta num acidente.
Basta um pouco de empatia para se colocar no lugar do outro, experimentar sentir por alguns instantes a dor do outro e imaginar que a dádiva de viver cada dia ao lado de quem amamos não existirá mais.
É por essas e outras que cuidar da própria vida e da vida dos outros no trânsito é uma causa humanitária para a qual a doação não é por telefone, em moedas ou cartão de crédito. Basta resgatar a sensibilidade e a humanidade escondida em alguma dobrinha de si mesmo e trazer isso para as práticas diárias.
Antes eu era só educadora de trânsito. Evoluí e agora sou ativista da causa humanitária de salvar a minha própria vida e a dos outros no trânsito.