Translate

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

77º das Rodovias são "reprovadas"

Estudo feito pela CNT mostra que apenas 23% das vias pavimentadas são consideradas boas
Cerca de 77% das rodovias de Mato Grosso tiveram avaliação negativa na pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) e apenas 23% foram definidas como boas e ótimas. Os dados foram coletados este ano e os técnicos identificaram problemas no pavimento como o desgaste, trincas, remendos, ondulações e buracos. A situação resulta em prejuízos para empresas transportadoras da carga e passageiros, além de acidentes e comprometimento da saúde dos motoristas.

O diretor executivo da Associação de Transportadores de Carga (ATC) em Mato Grosso, Miguel Antônio Mendes, relata que a principal rota utilizada pelos motoristas são as de acesso aos terminais rodoviários em Alto Taquari e Alto Araguaia. Os profissionais elencam a Serra da Petrovina, na BR-364, em Pedra Preta (238 km ao sul de Cuiabá), como os pontos críticos. Além dos problemas no pavimento, a falta de sinalização contribui para as colisões.
Outro ponto e a rodovia MT-130, entre os municípios de Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá) e Primavera do Leste (231 km ao sul de Cuiabá). Mendes explica que o trecho funciona por meio de concessão e devido a problemas contratuais, que tramitam na Justiça, ficou sem investimentos por muito tempo.
A falta de infraestrutura faz com que o dinheiro gasto na manutenção do veículos seja alto. Mendes afirma que não há um valor exato, mas o fato da frota mato-grossense ser uma das mais novas do país é um reflexo. Enquanto nos demais Estados a idade média dos caminhões é 20 anos, em Mato Grosso é 6 anos. Os carros mais antigos não conseguem ter o mesmo desempenho e atender a demanda do escoamento da produção. Apenas na ferrovia de Alto Araguaia são carregados 8 milhões de toneladas por ano.
Sinalização - Placas retiradas ou tampadas pelo mato, que fica no acostamento, atrapalha a rotina dos caminhoneiros e dos demais motoristas. O diretor da ATC relata que muitas obras de recapeamento são realizadas e a sinalização horizontal e vertical demora a ser implantada. Um dos exemplos está na BR-364, entre as cidades de Cuiabá e Rondonópolis.
Ele afirma que a entidade já fez um pedido oficial ao Departamento de Infraestrutura Terrestre (Dnit), pedindo que os contratos de sinalização sejam licitados junto com a obra de pavimentação para evitar a demora.
Balança - Nas rodovias federais existe somente 1 balança funcionando. A falta de fiscalização faz com que as cargas sejam superiores ao limite permitido, sendo que os policiais não têm condições técnicas de multar. Nas estradas estaduais, há 5 balanças, mas apenas 1 funciona 24 horas, o restante segue o expediente normal, o que favorece as empresas infratoras. Elas esperam o fiscal sair do posto para passar com a carga.
Doenças- Os trabalhadores sofrem com problemas decorrentes do estresse. As viagens costumam causar fadiga, devido as irregularidades do pavimento e risco no trajeto. Como perdem muito tempo em locais caóticos, os condutores tentam "recuperar" nas partes boas, o que aumenta o número de acidentes devido a alta velocidade.
A informação é confirmada pelo chefe do Núcleo de Acidentes e Medicina Rodoviária da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Alessandro Dorileo. Ele relata que a imprudência causa colisões por causa do excesso de velocidade e ultrapassagens ilegais.
Vegetação - As árvores e vegetação, que ficam na beira das rodovias, prejudicam a visibilidade da sinalização, comprometem o espaço de acostamento e ainda podem ser alvo de queimadas.
Com a fumaça, os motoristas perdem totalmente a visão. Um dos exemplos do problema aconteceu em agosto na BR-174, entre Mato Grosso e Rondônia. Seis caminhões colidiram devido a queimada na margem da rodovia. Um dos condutores morreu e 2 ficaram gravemente feridos. A PRF está fazendo um relatório, no qual aponta os locais que precisam de limpeza. A lista será encaminhada para o Dnit.
Fonte: Gazeta Digital, 16 de setembro de 2010, Caroline Rodrigues, Da Redação.

29 comentários:

ONG ALERTA disse...

Estradas reprovadas, mas infelizmente o governo não faz sua parte para dar condições as estradas deste país.

Chica disse...

E as nossas como estão???

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Lisette
Com essas condições das estradas, mais a irresponsabilidade dos motoristas, o Brasil só podia mesmo ser campeão mundial em acidentes.
Bjux

Machado de Carlos disse...

O que mais me incomoda é que tudo que consumimos, uma parcela vai para os cofres públicos em forma de Impostos. Tudo que se pode imaginar há uma parcela de Impostos, até mesmo o cafezinho da esquina, passagem de ônibus, pedágio etc.
Pode-se dizer que o Governo é a maior empresa do País. Uma democracia disfarçada de Socialismo. Para onde vai todo essa dinheirama?
Temos estradas mortas, saúde morta. Até a Pirataria paga imposto, pois precisam comer bem, comprar seus carrões, aviões etc...

Que bom recebê-la em meu cantinho. Sua presença é um sinal de luz verde em todos os caminhos.

Luciana disse...

Oi Lisette

Uma boa noite pra ti amiga.

Bjs

"(H²K) - Hamilton H. Kubo" disse...

Seria hilário não fosse fatidico.
Será mesmo que estudos como estes vão continuar a ser ignorados?
Como podem se deparar com um número grotesco feito este, e continuarem de braços cruzados...
Indignação, pois pedágios não faltam, multas temos aos milhares... e para onde vai este capital?

Infelizes somos nós que dependemos das vias reprovadas...

Beijos Lisette!

Pelos caminhos da vida. disse...

Imagino então as outras rodovias como estão!!!!

Uma boa noite amiga.

beijooo.

Marilu disse...

Querida amiga, pagamos tantos impostos, tantas taxas, pedágios e pra que? É impressionante o descaso do governo com relação as estrada que matam todos os dias centenas de pessoas. Beijocas

Celina disse...

Oi Lisete,agradeço a sua visita, Deus te abençõe e te der muita paz para vc continúar a suas tarefas que é de informar e lutar para que tudo seja melhor nun futuro não muito distante. Um abraço carinhoso, Celina PS logo que o meu neto melhorar voltarei com mais brevidade as amigas.

Nilce disse...

Sinto pena desses motoristas que pagam seus impostos e precisam trafegar por estradas brasileiras.
Ou pagam pedágio ou passam por estas situações de estresse e perigo constante.
Até quando???

Bjs no coração!

Nilce

Pena disse...

Olhe, linda e Doce Amiga:
Sempre que entro aqui fico fascinado.
A Educação, é o objectivo prioritário de andar na estrada.
Se for dentro do civismo, responsabilidade e perfeita Cidadania, é exemplar como narra.
Beijinhos mil de respeito imenso.
Sempre a admirar o que faz de forma notável e excelente.

pena

Bem-Haja, preciosa amiga.
Adorei.
É fantástica. Um exemplo a seguir sem hesitar.

Tania T. disse...

É... isso já ta parecendo brincadeira... =(

=/




Beeijo

Maria José disse...

Falta ação do governo, né amiga? Beijos carinhosos.

Valéria Sorohan disse...

Aqui em São Paulo a rodovia Castelo Branco Anhaguera e Dutra, são uns tapete excelente, mas pedágios altíssimos.

BeijooO*

soninha disse...

O problema esta em todo lugar, e nada é feito é um descaso total.

Daniel Moraes disse...

O bom funcionamento das rodovias só são colocados em palta em época de eleição. Apos, só servem para os governantes desviarem as verbas que vem para sua manutenção. Tem texto novo no Sub Mundos. Bjus.

http://submundosemmim.blogspot.com

Sonhadora disse...

Minha querida
Passando para te deixar um beijinho com carinho.

Sonhadora

•*♥*• Sanzinha •*♥*• disse...

Lisette,

Some-se tudo isso ao descaso dos motoristas que insistem em serem irresponsáveis.
É nossa triste realidade. :(


Vim aqui te contar que estou com um novo blog. O Universo Literário. É todo sobre livros.
Passa lá pra conferir!

http://universoliterario1.blogspot.com/

Espero que goste. :)

Beijo grande!

Mariana disse...

E saber q estamos trocando de governo e tudo continuará como está.

Zéza disse...

Se reprovou tem que recuperar, né? Beijos azuis!

claudete disse...

pior Lisette é que o descaso também acontece em rodovias perimetrais de acesso constante: buracos tapados de qualquer forma cujos consertos não duram três meses, afora o fato de que numa rodovia de conexão entre municipios próximos fica a "briga" a quem cabe o conserto. E o usuário...Que se lixe!

Toninhobira disse...

Que relato mais estarrecedor!!! Assim amiga fica dificil a gente sonahr com um transito mais humano, ainda mais com as autoridades ignorando, pois elas andam de avião e nós pobre aqui no torrido chão.Que Deus nos proteja neste feriadão.Um abraço de paz e luz.

Coruja disse...

Sempre atenta, Lisette,
e continua a fazer um excelente trabalho.

Obrigada pela sua presença lá nos pensamentos.

Um beijo carinhoso e os desejos de muita paz!

ValériaC disse...

Realmente lamentável...diria mais...vergonhoso!!!
Beijos amiga...
Valéria

LUCONI disse...

Triste não é Lisette? Lamentável parece que todos gostam de brincar de roleta russa, que pena, beijos Luconi

Guará Matos disse...

OI...

NOVOS CAMINHOS

O Bar virtual O BLABLABLA NO TELECOTECO mudou de local. Agora ele faz parte de um conglomerado chamado GUARÁ MATOS blablablas e afins/ https://sites.google.com/site/blablablaseafins/ (até eu registrar um domínio próprio, usaremos esse endereço e devemos prestar atenção no HTTPS, que é assim mesmo. Infelizmente não registra para ser seguido). Um site onde todas as expressões artísticas e culturais serão pesquisadas e divulgadas.
São várias páginas com diversos conteúdos e a participação das pessoas vai ser de extrema importância para divulgação de eventos e dos bares da preferência de cada um.
As entrevistas levarão o nome de “Blablablas e afins” e serão realizadas dentro da página que leva o nome do bar.
Como site é diferente de blog criei um formulário de comentário, estilo “fale conosco”. As intervenções dos visitantes serão registradas e mandadas para uma página fora (Google Docs) e eu responderei um a um pelo e-mail que for deixado no momento do depoimento.
Vídeos, fotos, informações, notícias, lista de contato dos amigos e tantas coisas mais poderão ser acessadas por todos.
Procurei fazer algo de qualidade e pensando na interação, na participação dos meus seguidores e também quem eu sigo.
Acho que vai ser muito legal pra todos nós.
Conto com você de verdade e também com seus leitores.
Abraços,
Guará Matos.

Três Egos disse...

E o pior, ainda pagamos impostos! Talvez uma coisa boa de São Paulo é que as estradas, pelo menos as principais, costumam ser boas, mas, claro, paga-se muito caro para isto, são pedágios e mais pedádios e cada vez mais caros. Mas ainda prefiro pagar mais e ter segurança. Não é o ideal, mas fazer o quê?

Beijo

brasildobem disse...

E o que autoridades competentes dizem a respeito disso? Querem que os motoristas e transeuntes se danem?
Bjs

Daniel Savio disse...

Infelizmente, um dado que só prova com o povo brasileiro anda fazendo pouco caso da própria segurança, pois caso contrario, cobrariamos em massa os nossos representantes eleitos...

Fique com Deus, menina Lisette.
Um abraço.