Translate

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Postes flexíveis



Postes flexíveis

Publicada em: 19/02/2008
O assunto “acidentes de trânsito” costuma ser freqüente nas manchetes dos jornais escritos e falados. Esta coluna mesmo já abordou o tema algumas vezes. Principalmente após o atual código de trânsito brasileiro completar dez anos. Esse código, que agora está sendo revisado, foi proposto para tentar diminuir o número de acidentes provocados nas cidades e estradas.
Mas essa não é a única ferramenta a favor da segurança de motoristas. A indústria automobilística tem colaborado investindo em equipamentos de segurança. Hoje os cintos, que são obrigatórios, são mais eficientes e os air-bags já não são mais exclusividade em modelos de luxo. Existe ainda a popularização dos sensores que avisam o motorista a proximidade de obstáculos na hora de estacionar.

Colisão com um poste comum
A novidade agora são os postes flexíveis! Quando um carro colide com um poste, o impacto acaba sendo absorvido quase totalmente por ele, já que o poste é mais rígido. É mais ou menos como jogar uma bola de tênis numa parede. A bola tem seu movimento totalmente alterado e a parede não sofre nenhuma alteração.

Colisão com um poste flexível
Para reduzir os impactos desse tipo de acidente, uma empresa da Grã-Bretanha, está produzindo postes feitos de poliéster e fibras de vidro. Tais postes, por serem mais flexíveis que os de concreto, absorvem parte do impacto gerado numa colisão. Pelos testes, o poste pode se curvar ou quebrar durante o impacto e assim o carro e seus ocupantes sofrem estragos menores.

Esses postes, que já são usados na Escandinávia, agora estão sendo adotados pela Inglaterra. O custo ainda é alto, quase o dobro dos postes tradicionais, mas os benefícios compensam. Mas isso pode mudar quando outras empresas começarem a produzir modelos concorrentes. Quem sabe no futuro essa novidade também chegue ao Brasil? Afinal, toda ajuda para diminuir os acidentes de trânsito é bem-vinda!

Fonte UOL.com

3 comentários:

Mariana disse...

Espero que em breve "esta novidade" e de grande importância em relação a Vida, seja adotada por nossas autoridades.

Lu Citadin disse...

É preciso que o Trânsito seja levado mais a sério!Precisamos de planejamento,fiscalização e conscientização.

João Francisco disse...

Onde se encontram engenheiros responsáveis o governo precisa de verbas para o que?
João Francisco