Translate

quarta-feira, 11 de março de 2009

Crianças fazem fotos de flagrantes no trânsito

Crianças fazem fotos de flagrantes no trânsito
Os acidentes de trânsito são a principal causa de morte de crianças de 1 a 14 anos no Brasil. Meninos e meninas de São Paulo saíram às ruas com a missão de fotografar possíveis locais de risco.
Meninos e meninas de São Paulo saíram às ruas com uma missão: registrar flagrantes de situações de risco para crianças.
O resultado mostra a importância do tema deste ano da Semana Nacional de Trânsito, que vai desta quinta-feira até o dia 25 de setembro. Retratos de um mundo na contramão.
Carros e motos na calçada.
Gente andando no asfalto.
Cruzamentos sem sinalização.
O passeio tomado por ambulantes.
A rua virando playground.
Desvios que desembocam na tragédia revelada pela estatística: os acidentes de trânsito são a principal causa de morte de crianças de 1 a 14 anos no Brasil. São 2.400 vidas perdidas por ano. Tão importante quanto aquilo que aparece nas fotografias é quem estava atrás das câmeras. Retratos foram feitos por jovens amadores, principiantes da Zona Sul de São Paulo, uma das áreas mais populosas e carentes da grande metrópole.
São crianças e adolescentes que estão exatamente na faixa etária mais ameaçada pelos riscos do trânsito. A turma vem de uma entidade que trabalha para mantê-la longe das ruas. Neste ano, o programa foi fechar o foco nas ameaças do trânsito e fotografar erros no que já virou rotina.
“Não tem faixa de pedestre nem semáforo”, aponta um jovem.
“Fotografei o carro na calçada e o entulho”, conta um aprendiz de fotógrafo. A idéia, que nasceu na Zona Sul paulistana pela mão da Organização Internacional Criança Segura, deu a partida a uma rodada mundial.
Neste ano, crianças de outros seis países também fotografaram para marcar a Semana Internacional do Trânsito. A partir desta quinta-feira, as imagens viajam o mundo em forma de exposição.
“Um perigo imenso. Já vi algo assim no meu bairro, mas não sei se as pessoas têm consciência”, conta Henrique Lima, de 10 anos.
Mais do que tirar retratos, jovens aprenderam que dá para fazer algo para deixar bem na foto o lugar onde se vive.
“Eles podem transformar a realidade deles com luta, com trabalho.
Não apenas retratar", explica Alessandra Veloso, coordenadora do Núcleo Fotógrafa Inaê Coutinho.

Fonte: G1, Globo.com, 2008

Um comentário:

Lisette Feijó disse...

Excelente idéia de ensinar o que esta acontecendo no trânsito de nosso pais, pois é para estas crianças que precisamos fazer uma mudança em tudo isso o mais rápido possível. Existem muitos perigos e irresponsabilidades dos cidadões.
Lisette Feijó