Translate

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Os computadores podem tornar as estradas mais seguras?

Dirigir embriagado, dormir ao volante, ultrapassagens perigosas – tudo isso vai acabar. A condução automatizada poderia ser a chave para estradas mais seguras e segurança no trânsito?

Acabaram-se os tempos em que proprietários de carros com alguma prática podiam consertar sozinhos problemas menores. Os carros modernos são cheios de equipamentos eletrônicos acionados por computadores de bordo e os mecânicos de automóvel de antigamente se tornaram especialistas em informática.

Alguns projetistas de automóvel e cientistas visionários acreditam, no entanto, que nós ainda estamos na Idade da Pedra em termos automobilísticos. A visão que eles têm é de um carro sem motorista, que computa todas as variáveis externas e internas, transformando motoristas em passageiros, eliminando assim o maior risco no moderno tráfego viário: a falha humana.

Mais segurança no trânsito, menos trânsito, menos poluição

Mas não se trata apenas de segurança. Também haveria menos engarrafamentos no trânsito porque os carros poderiam circular de modo sincronizado, evitando os problemas de andarem mais próximos uns dos outros. Segundo um estudo da California Partners for Advanced Transit and Highways (PATH), apenas 5,5% de uma estrada média nos Estados Unidos é ocupada pelos carros, mesmo quando usada com máxima eficiência. Cada faixa de uma rodovia padrão nos Estados Unidos mede 3,6 metros de largura, ao passo que a largura de um carro de passageiros, mesmo de tamanho grande, não tem mais que 1,8 metro. Motoristas humanos precisam dessa margem de segurança, mas os veículos pilotados por computador poderiam manter entre si uma distância bem menor.

Os carros também usariam menos gasolina, pois num tráfego que fluísse melhor, haveria menos necessidade de frear e acelerar. Carros automatizados também não são propensos aos maus hábitos encontrados com frequência nos motoristas humanos. Um teste de economia de combustível realizado pela montadora Ford mostrou que, evitando a ociosidade excessiva, a condução agressiva e o uso exagerado de ar-condicionado pode-se reduzir em mais de 20% o consumo de combustível.

As estatísticas dos proprietários de frotas, como a empresa norte-americana Schneider National, também mostra uma nítida correlação entre quilometragem por litro e acidentes. A empresa descobriu que os 100 motoristas com a maior quilometragem por litro tinham um índice de acidentes 37% inferior aos 100 motoristas com menor quilometragem por litro.

Além disso, os motoristas ficariam livres para ler, dormir ou trabalhar, ao invés de passar longas horas concentrados na estrada e na sinalização de trânsito. Segundo dados publicados pelo Departamento de Estatísticas dos Estados Unidos, os norte-americanos passam mais de 100 horas anuais no trajeto diário de ida e volta do trabalho, com cerca de 90% dessas viagens feitas de carro. Esse tempo é mais que as duas semanas de férias anuais da maioria dos trabalhadores.

À luz dessas vantagens potenciais, não é de admirar que os cientistas já venham trabalhando, há algumas décadas, com a ideia de carros automatizados.

Projetos com mais segurança e eficiência

No início dos anos 80, a União Europeia passou a financiar o projeto Prometheus, o programa para um tráfego europeu da máxima eficiência e segurança sem precedentes. Quase no fim do programa, cientistas conseguiram fazer com que um carro Mercedes-Benz automatizado fizesse uma viagem de mais de mil quilômetros no sistema rodoviário alemão. Havia um motorista humano a bordo por questões de segurança, mas o carro percorreu, numa ocasião, mais de 150 km sem intervenção.

O protótipo nunca chegou à produção, mas muitas das ideias usadas foram incorporadas. Hoje, os carros são equipados com muitos instrumentos que tiram o controle das mãos do motorista.

Os freios ABS (sistema de frenagem antitravamento) assumem o controle quando o motorista pisa no freio com muita força. Esse sistema impede que as rodas travem e que o carro deslize. O Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC) pode se sobrepor às decisões do motorista quando este está prestes a perder o controle do carro. E assim como o ESC foi um acréscimo às vantagens do ABS, outras características de segurança ainda mais sofisticadas virão se somar aos sensores e ao uso da computação pelo ESC.

“Porém, ainda vai demorar muito até que os motoristas humanos se tornem redundantes. Acima de tudo, os fabricantes receiam assumir sozinhos todos os riscos”, diz Fred Wegman, do Instituto Holandês para Pesquisa em Segurança Rodoviária. “Você tem o problema de que os fabricantes se tornam legalmente responsáveis pelos sistemas de segurança integrados, e eles se negam a isso, pois há demasiado risco de serem processados pelos usuários”.

Mais importante do que isso é que dirigir ainda é encarado como símbolo de liberdade pessoal, um ato altamente emocional. Muitos motoristas ficam horrorizados só de pensar em se tornar meros passageiros.

Wegman defende a automatização parcial. “Considere as poucas pessoas que ainda se recusam a usar cinto de segurança. O último passo poderia ser uma trava que impede de dar a partida no carro antes de colocar o cinto”.

Muitos fabricantes de automóveis estão pensando nesse sentindo. O conceito de “escudo de segurança” da Nissan, por exemplo, inclui uma série de sensores e sistemas proativos que fornecem aos motoristas mais e melhores informações, e que intervêm no caso de haver um acidente inevitável.

Os chamados sistemas de controle adaptável de cruzeiro (ACC) medem a estrada adiante do carro por meio de sensores a laser ou por radar, a fim de manter uma distância segura em relação aos carros à frente, usando controle de injeção, diminuindo a marcha e freando, se necessário.

Empresas como Audi, Lexus, Mercedes-Benz, Toyota e Volkswagen também oferecem sistemas automatizados de estacionamento nos modelos top de linha, que permitem estacionar um carro sem a intervenção do motorista. Essa automatização gradual também tem uma vantagem psicológica. Daqui a 20 ou 30 anos, nós ainda poderemos nos considerar bons motoristas por confiarmos na ajuda de computadores e sensores e do nosso técnico de informática automotiva.

Carros com pilotagem automatizada]
Por Thilo Kunzemann

Um veículo com pilotagem automatizada roda em uma área de testes durante uma apresentação à imprensa, em Berlim, em 2007. (Foto: Reuters)

Fonte: http://sustentabilidade.allianz.com.br

25 comentários:

ONG ALERTA disse...

Espero que um dia possa existir um tränsito melhor com pessoas melhores.
Somos aquilo que aprendemos e somos o exemplo para muitos, respeite o tränsito ele mata.

Yasmine Lemos disse...

Lisette,
lendo os textos ,sua luta ,quero acreditar que um dia a consciência humana irá mudar.
p.s: as fotos do seu anjo são lindas demais.
beijo

Andradarte disse...

A esperança é a ultima a morrer...mas pessoalmente....não sou tão otimista como o texto que nos deixa, pois se já
hoje começa o caos,,,,que será comtanta tecnologia.....????Veremos.....quem por
cá andar...
Abraço

Alê disse...

Moro numa cidade super pequena, mas com grande número de mortos nas rodovias que aqui passam.

Creio que deveria ter inclusive, um sistema que bloqueasse a alta velocidade, que aqui é o principal fator de morte, principalmente de jovens

Carros melhores, mais velozes, armas =(

Lena disse...

Alessandra,
Tenho a mais absoluta certeza! O Nelson Piquet tem um sistema de acompanhamento da segurança das estradas, que é vendido para proprietários de caminhão. Artigos de revistas dizem que o sitema tem trazido bons resultados. Já é uma esperança. Bjkas minha linda guerreira!

Vera Lúcia disse...

O artigo é interessante.
O avanço da tecnologia permite inovar sempre em matéria de segurança.
Tudo é possível.
Beijos.

Sônia Silvino disse...

Lisette!
Isso é simplesmente incrível e futurista. Não consigo imaginar isso acontecendo na prática. Mas quem sabe a ideia se aperfeiçoa e passa a ser realidade.
Adorei saber!
Beijos, minha linda!

ღPat. Rochaღ disse...

Bem interessante este texto amiga. É uma luta constante o trânsito melhor.

Eu passo cada situação quando dirijo que às vezes me pergunto: como é que o detran habilita certas pessoas... o problema é que a maioria não usa o que aprendeu, desconhecem a palavra respeito e segurança.

Um beijo lindona. Obrigada por teus afagos em meu blog.

Cynthia disse...

Oi Lisette, bem legal esse texto. Espero que vc esteja bem, obrigada por passar no meu cantinho. Bjs Cynthia.

Aleatoriamente disse...

Boa noite moça linda.
Amei saber disso.
Mas tantos os motoristas, quanto os pedestres hão de ter um equilíbrio na prudência.
Beijo Lisette

Beijinho

Carla Fernanda disse...

Que vc possa salvar muitas vidas com o seu trabalho importante e vitar sofrimentos.
Beijos,
Carla

Zil Mar disse...

Oi Lisette...

passo pra lhe desejar paz...luz...e saúde...

vc mora no meu coração...

deixo meu carinho....

Zil

Flor de Jasmim disse...

Lisette querida
Esta tua luta incansável leva-nos a não perder a esperânça que o ser humano poderá melhorar, sim porque existe muita falta de responsabilidade e consciência. Que esse futuro se aproxime o mais rápido possivel e que possamos gritar bem alto BASTA.
Beijinho bom fim de semana

Misturação - Ana Karla disse...

Um trânsito melhor é o que todos precisamos.
Não sei se confio totalmente em computadores, aliás, não dá para confiar. Essas máquinas servem mesmo para auxiliar.
Eu já estou cansada de dirigir aqui, onde os ônibus e motos vem para cima do carro.
Um horror, as vezes até fecho os olhos e fico com o carro parado esperando a pancada do ônibus.
É um absurdo!!!

xeross

sandrinha disse...

Olá querida!
Vou colocar o sei link de alerta no meu blog tá?não posso ajudar muito...mas neste sentido sim!

De uma coisa eu tenho certeza!eu nunca tirarei a vida de ninguém dirigindo pois não dirigo!eheh!tenho medo de direção!e com quase 50 anos não penso em aprender!

Mas podem tirar a minha ...só deu estar atracessando a rua ou na calçada!

Infelismente, ninguém tá livre!



Um feliz final de semana!continue na sua luta sim!

sandrinha disse...

Olá querida!
Vou colocar o sei link de alerta no meu blog tá?não posso ajudar muito...mas neste sentido sim!

De uma coisa eu tenho certeza!eu nunca tirarei a vida de ninguém dirigindo pois não dirigo!eheh!tenho medo de direção!e com quase 50 anos não penso em aprender!

Mas podem tirar a minha ...só deu estar atracessando a rua ou na calçada!

Infelismente, ninguém tá livre!



Um feliz final de semana!continue na sua luta sim!

Nuestro Cielo disse...

O problema não está nos carros, amiga.
Está em quem os dirige.

Um abraço!
Que seu fim de semana seja de paz!
Wilson

Folha em Branco disse...

Oi passando para deixar um beijinho e dizer que agora quando vejo alguma noticia, algum comentário sobre trânsito lembro de você. Amei a poesia que a morte de um filho é uma gravidez ao contrário. Outra coisa eu iria amar toda essa tecnologia a nosso favor no trânsito e que claro eu pudesse pagar para ter no meu carro. Bjs Eliane

soninha disse...

Tomara que a tecnologia consiga sim um dia melhorar o caos que hoje é nossas estradas...

LUCONI disse...

Lisette tua luta é imensa, e como você eu gostaria de acreditar que vai melhorar, mas o ser humano precisa melhorar, não basta tecnologia sem concientização, sem amor a vida,sem respeito, e isto minha amiga está difícil, mas vamos acreditar, lutar, quem sabe o amanhã será melhor, beijos Luconi

Maria disse...

Amiga Lisettte como sempre um texto excelente.
Bom fim de semana
Beijinhos
Maria

Gracinda disse...

Muito obrigada por sua amável visita! Acabo de atualizar e estou te esperando! Bom final de semana! Paz, Luz e Harmonia!

Cantinho She disse...

Sensacional o seu comentário no seu post minha querida, belo complemento. ;) Espero por esse dia tb! Obrigada pela presença em meu Cantinho e que bom que gostou do meu "Último Conto", mas de último ali só o nome mesmo, pois não pretendo escrever o último nem tão cedo. ;)
Beijo, beijoooooo!
She

Luma Rosa disse...

Tudo essa tecnologia custará muito caro para o consumidor, principalmente o brasileiro. A tecnologia existente está somente nos modelos tops. Viu a reportagem que saiu a mais ou menos 15 dias denunciando o preço dos carros comprados no Brasil? O mais caro do mundo! Eu penso que qualquer mudança não é visando a satisfação do consumidor e sim das montadoras que manteem em segredo e protegidos judicialmente, os preços da linha de produção. Boa semana! Beijus,

Entrevidas disse...

Realmente para dirigir temos que ter consiencia, e prestar muita atensão. Beijos