Translate

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Especialistas dão orientações de como se recuperar de um trauma

Cada um pode reagir de uma forma, diante de um acidente, de um susto. O importante é que dá para superar o trauma, seja com tratamento ou com a ajuda de parentes e amigos.
Em outra edição, o Bom Dia Brasil mostrou: o revestimento da turbina de um avião se soltou logo depois da decolagem e provocou pânico entre os passageiros. Mas tudo acabou bem, não passou de um susto. Ficou a pergunta: o que fazer? Como agir em uma situação de emergência, como na pane de um avião, na batida de um trem ou de um ônibus?
Muitos passageiros têm passado por esses sustos. E isso pode provocar um trauma grave? A resposta dos médicos é ampla: cada um pode reagir de uma forma, diante de um acidente, de um susto. Até mesmo fatores genéticos podem influenciar nesses casos. O importante é que dá para superar o trauma, seja com tratamento ou com a ajuda de parentes e amigos.
A fuselagem da turbina se soltou bem na hora da decolagem. E os passageiros reagiram, cada um de um jeito. “Algumas pessoas começaram a gritar para a aeromoça, outras rezaram, outras choraram”, conta uma testemunha.
Foi em um voo que ia de Natal para São Paulo. Uma hora depois, o avião pousou sem problemas. Passageiros e tripulantes de outro voo que partiu de Ribeirão Preto, no interior paulista, na semana passada, também passaram apuros. Um pássaro entrou em uma das turbinas do avião, que teve de pousar pouco tempo depois de ter decolado. Como reagir a uma batida entre dois trens? Aconteceu semana passada na capital paulista. Mais de 100 pessoas foram levadas para hospitais.
Acidentes podem provocar traumas. No caso da dentista Thatiane Cristina de Freitas, o susto foi no trânsito. Depois de bater o carro, ela parou de dirigir. Já são 14 anos longe do volante. Até no banco do passageiro, Thatiane sente medo: “Se a pessoa faz uma ultrapassagem mais brusca, fico gelada, fico em choque”.
Ficar nervoso e agitado durante alguns dias depois de viver uma situação inesperada é considerado normal pelos especialistas. Esse comportamento começa a preocupar quando o trauma se prolonga, persiste por mais de um mês. Aí é preciso buscar ajuda.
Quem passa por um trauma geralmente lembra com frequência do que aconteceu e sofre com isso. Ou, ao contrário, evita a todo custo falar ou reviver o acontecimento. Também pode desenvolver o que os especialistas chamam de hipervigilância, quando a vítima se mantém alerta a todo o momento.
“O problema é como isso vai influenciar a vida daquela pessoa, como a pessoa vai responder ao trauma e como esse trauma pode paralisar a vida dessa pessoa”, comenta o psiquiatra Jair Borges Barbosa Neto, da Unifesp.
O tratamento é feito com terapia e medicação em alguns casos, mas a família e os amigos também podem ajudar. “Se a pessoa acabou de sofrer esse trauma, é importante que ela procure ajuda da sociedade, ajuda das pessoas que estão em volta dela. É importante ela conseguir pedir principalmente aos familiares, aos amigos, que ajudem, que acolham aquela dor. Se não tiver sendo suficiente, ela deve procurar também ajuda de profissionais da saúde ou psicologia, ou psiquiatra mesmo, se for o caso”,
A Thatiane decidiu: vai ter novas aulas de direção, desta vez, com o psicólogo do lado.
De acordo com os médicos, uma pessoa pode desenvolver um transtorno de estresse pós-traumático até 10 ou 20 anos depois de ter sofrido um trauma. É o caso de veteranos de guerra.
Um estudo da Universidade Federal de São Paulo também aponta que uma em cada dez pessoas que sofrem traumas, pode desenvolver o estresse agudo, que dura cerca de um mês.
Fonte: 28/05/2012 08h49 - Atualizado em 28/05/2012 08h51

46 comentários:

ONG ALERTA disse...

Náo é fácil sair de trauma de acidente.
Cada pessoa tem seu tempo mas o mais importante é querer sair do trauma e náo deixa-lo como desculpa para náo fazer nada, tudo na vida sáo conquistas e cada um deve fazer as suas...

Mery disse...

Temos que ter força nessas horas,,
"o trauma às vezes é inevitável, não depende de nós, é coisa da mente, sim.
Eu não dirijo mais por causa de um acidente...e tantos traumas tenho, mas ainda ñ aprendi a superá-los.
Adorei ler esse post.
Bjinhos.
Mery*

amorartes disse...

Oi é muito difícil passar,por um acidente,como eu já te relatei o trauma pós acidente,eu sobrevive,mas foi muito dolorido porque tive que conviver com a lembrança dele por muito tempo.Bjs uma boa semana.

Smareis disse...

É muito dificil sair de um trauma de acidente .Precisamos de tempo e tempo pra recuperar o psicologico. Só quem ja passou pela dor de um acidente sabe o que é isso.Ja tive acidente e sair sem nenhum problema, alguns arranhões e meu filho com alguns pontos, mas teve vitima nesse acidente no outro veículo que colidiu com o meu. Ja perdi meu sobrinho num acidente fatal de moto e até hoje minha irma e toda familia sofre essa perda.
Só a força de Deus pra nos dar coragem pra prosseguir em frente...

Ótima postagem, parabéns!

Beijos e ótima semana.

Mari Rehermann disse...

Muito bom o texto! Há 22 anos caí de bicicleta e bati a cabeça no asfalto, e até hoje não consegui superar o trauma e andar de novo...só de pensar, me dá um pavor!

Tenha uma semana repleta de luz e paz!!
Beijos!♥

Mari Rehermann disse...

Muito bom o texto! Há 22 anos caí de bicicleta e bati a cabeça no asfalto, e até hoje não consegui superar o trauma e andar de novo...só de pensar, me dá um pavor!

Tenha uma semana repleta de luz e paz!!
Beijos!♥

Lidi Horácio disse...

Nossa.. mt boa dica.

Beijocas :*
Boa Semaninha ")

ValériaC disse...

Um acidente sempre mexe com os envolvidos em diferentes graus, e um trauma se não for superado, convem buscar ajuda terapêutica, para sua superação.
Boa semana, beijos
Valéria

O Profeta disse...

Já esqueci, todas as palavras que queria ouvir
Todo os sentires por sentir
Já não sou protagonista de uma comédia de enganos
Sou apenas demiurgo de uma perversa cena de uma chegada sem partir

Sou uvas amargas do mês de Abril
Vinho de travo verde ao beber
Semente atirada ao meio das pedras
Olhos na bruma na inquietação do ver

Uma imensa e incontida força neste peito
Na alma uma cicatriz, qual estigma
Serei apenas um barco de papel à deriva!?
Ou como já alguém disse, um…Enigma…

Doce beijo

Valéria disse...

OI Lisette!
Cada cabeça uma sentença. É muito imprevisível nossa reação diante de um infortunio qualquer. Hoje mesmo estivemos comentando as reações de pânico das pessoas do acidente com o avião, pois lá iam conhecidos de meus filhos. Ninguém sabe como vai reagir até acontecer, é superior a nós, a nossa racionalidade, mas devemos escutá-la e segui-la. O descontrole estraga tudo, nos cega e pode se tornar pior seja lá o que nos aconteceu. Melhor rezar muito para nos livrar de todos os males.rss
Beijinhos e uma ótima semana!

Nice Bacchini disse...

Oi, Lisette, traumas marcam e toda ajuda é importante. Passei por uma tentativa de assalto quando cheguei como turista em Fortaleza e confesso que até hoje eu tremo um pouco quando tenho que sair de carro a noite, para mim vai aparecer um indivíduo armado e atirar no meu carro, como aconteceu. Ainda bem que tudo terminou bem. Boa Semana.. bjsss

http://claudiaymarques.wordpress.com/ disse...

Olá querida amiga estive ausente do meu blog por um tempinho agora estou voltando timidamente...mas tem um cafezinho para vc quentinho....
o trauma de um acidente só o tempo e muitas vezes nem o tempo quando tira-se vidas e as cicatrizes são eternas...Mas tem a aceitação que vem de cima de Deus...
muitos beijos....titi

Pelos caminhos da vida. disse...

Quem já passou por isso sabe que não é nada fácil superar um trauma...

beijooo.

manuela baptista disse...

todas estas orientações

e a nossa força!

um abraço

Flor de Jasmim disse...

Lisette querida
Sei bem o que é trauma de acidentes, nunca tive nenhum por culpa minha, mas tive um gravissimo levava a meu lado a minha filhota gravida de 8 meses, um tipo bebado que ultrapassou um outro carro e vei contra o meu.
Ai que conseguir ultrapassar os traumas e, por vezes não os usar como desculpa para fugir a algo.
Boa semana amiga

Beijinho e uma flor

Simone butterfly disse...

Nossa lendo esse texto me fez lembrar do trauma de minha tia, depois de um acidente até hoje ela não dirige, tomara que tenha tratamento, beijinhos☻

Mery - Coqueluxos disse...

Realmente é complicado se recuperar de um grande trauma... mas sempre pode ser superado... bjokas

Bandys disse...

Olá Lizette,
Uma ajuda é sempre bem vinda pra superar um trauma de acidente.

Um beijo e uma semna de muita paz no coração.

Betty Gaeta disse...

Oi Lisette,
Não só jantei em Porto madero, como fiquei hospedada no bairro.
Obrigada pelo recadinho carinhoso por ocasião da minha viagem.
Beijos 1000 e uma semana maravilhosa para vc.

www.gosto-disto.com

lucidreira disse...

Parabéns a este seu esclarecimento. Muito bom mesmo, espero que muitas pessoas possam ler para que tomem uma atitude razoável quando passarem por alguma situação de panico.
Abraço

* Nanda * disse...

sim, trauma
um assunto delicado para
quem já passou por isso
linda semana bjs

http://diariodevocional2012.blogspot.com.br/

Cidinha disse...

Olá. amiga. Boa noite pra vc e feliz semana! È triste Lisete conviver com todos esses problemas que muitas vezes marcam para sempre. Agradeço seu carinho! Bjos.

Maria Célia disse...

Lisette,nunca passei por um trauma de acidente sério. Mas, até hoje, não esqueço um problema que meus pais e nós, três filhos, passamos na abertura da estrada Rio/Bahia,quando o carro enguiçou. Era tudo um barro vermelho sem nada vivo, nem vegetação nem gente. De tanto rezar, depois de horas abandonados no nada, apareceu milagrosamente, um sobrinho de meu pai que nos acudiu. É difícil! Beijos

Everson Russo disse...

Muitas vezes é difícil se recuperar...beijos de bom dia pra ti amiga.

Mariangela disse...

Um trauma sempre é difícil!
E toda ajuda é sempre bem vinda.Ótima postagem!
Abraços de bom dia!
Mariangela

Teresa Cristina disse...

Oiee!!
Bom ter a ctz que pra cada mal há uma cura e que com o tempo, apoio e tratamnto necessário tudo passa.
Bjks♥Paz!!

Roberta Micropigmentadora disse...

É muito difícil mesmo conseguir se recuperar de um trauma assim. Só quem passou ou quem passa por essa situação entende, quem está de fora nunca vai conseguir medir o tamanho do sofrimento. Ótimo post.

Beijos,

Pérola disse...

Pode-se morrer de susto, literalmente. tem ouvido as noticias de pessoas quemorrem de attaque de coraçãopor causa de sismos e outras catástrofes?
A parte psicológica é por demais importante. Aprender a reagir é muito importante.
Um beijinho

Bruxa disse...

Cada um reaje de maneira diferente a um trauma. E só o tempo e terapia podem curar. O que é inofensivo em uns, pode ser muito mais sério em outros, pois tudo depende da fase que estamos passando.
Ótima postagem.

Abraços amiga, Deus te abençoe.

Anne Lieri disse...

Lisette,muito importante seu post porque seria bom demais se nos hospitais tivessem psicólogos para conversar com as pessoas que sofrem esses acidentes e ficam traumatizadas.Muitas vezes passam por cirurgia, coma e quando voltam não há ninguem para orienta-las.Eu passei por isso e é muito doficil!Bjs e meu carinho.

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida
Paralisando ou não o trauma é sempre trauma...
Deus nos ajude a superá-los!!!
Bjm de paz

Sonhadora disse...

Minha querida

Deixo apenas o meu beijinho para a pessoa que és.

Sonhadora

soninha disse...

ótimo post!!!Existe sim maneiras de lidar com ele,e tudo que for para viver melhor tem que ser feito´pois cada um reage de uma forma diferente.

Luciana Santa Rita disse...

Oi Lisete,

Boa noite! O trauma geralmente é uma estranha sensação, pois aparece sem ser convidado e para se despedir, leva parte da gente e da vida. Mas, vale a luta.

Beijos.

Lu

Sissym disse...

Eu imagino como seja terrivel superar traumas no transito. Hoje sou muito mais medrosa até para ser passageira de onibus, visto que os motorista carregam pedras e não gente! parece.... Uma vez quase morri afogada, desde meus 16 anos não entro no mar com onda acima de minha cintura. Não consigo. O mar lá e eu cá, na beirinha.


Beijios

BlueShell disse...

Excelente texto...muito ilustrativi e informativo. Eu já tive um acidente..e bem sei como foi difícil ultrapassar esse trauma. Obrigada
BShell

Everson Russo disse...

Um dia de muita serenidade pra ti minha amiga, paz, amor e poesia...beijos com flores...

O meu pensamento viaja disse...

Essa é uma travessia do deserto extremamente dolorosa. Toda a ajuda é bem vinda.

VERINHA disse...

Boa tarde amiga,

Realmente é muito doloroso um trauma na vida de uma pessoa, Não só no transito como qualquer outro tipo, já fomos assaltados, eu e minha família ficamos escravizados pelo medo, Graças a Deus estamos todos bem. Sequelas ficam.
Um grande abraço e obrigada pela visita.

Lorena Viana, disse...

Conheço várias pessoas que tem bloqueio em andar em algum transporte, por conta que passou por traumas.
Acho que procurar um especialista sempre é a melhor opção.
Uma linda e abençoada quarta-feira!
Beijinhos.
Lorena Viana

Tunin disse...

Traumas são cicatrizes que não saram, podem ser físicos ou psíquico. Um excelente texto.
Abração.

Lilá(s) disse...

Adorei ler esse post, muito interessante! toda ajuda é importante, traumas marcam, e nem sempre são fáceis de superar.
Bjs

Ane disse...

Isso acontece com certa frequencia,o importante é superar o trauma e continuar a vida.Um abraço!

Michelle Louzeiro Nazar disse...

Eu sei bem o que é isso amiga Lisette...Acredito que este, ao menos para mim, foi um dos posts mais sensíveis que você já fez, querida.. Traz muitas reflexões! Beijos!

CamilaSB disse...

Os traumas afectam cada um de nós de maneira diferente, pois, todos sofremos com os acidentes... as vítimas e os seus familiares que, por vezes, ficam traumatizados para o resto da a vida... procurar ajuda é bom e o apoio é sempre benéfico...
Obrigada amiga, pelo carinho... e um beijinho com amizade e muita luz no seu caminho!

Van disse...

Oi Lisette,

Realmente cada um reage de uma forma ao trauma que um acidente causa, mas quem não consegue se livrar do trauma muito tempo depois do ocorrido sofre muito e deve procurar ajuda profissional.

Beijos