Translate

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Mortes envolvendo motociclistas crescem 754% no País

Instituto Sangari diz que número indica necessidade urgente de treinar motoqueiros e reforçar fiscalização

O número de mortes causadas por acidentes envolvendo motocicletas aumentou 754% entre 1998 e 2008, conforme o Caderno Complementar Mapa da Violência, feito pelo Instituto Sangari. O trabalho, divulgado ontem, mostra que a explosão nas estatísticas está relacionada não apenas com o aumento expressivo da frota, mas com o maior risco no uso do veículo. Em 2008, foram registradas 87,6 mortes para cada 100 mil motos no País. Uma proporção 170% maior do que a taxa da frota de automóveis: 32,5 mortes a cada 100 mil veículos. Em 1998, a taxa de mortes por motos era de 67,8 a cada 100 mil - uma proporção 75% maior do que a taxa da frota de carros.
"Os números são assustadores. A direção de moto tornou-se aparentemente mais arriscada", afirma o autor do trabalho, o pesquisador Júlio Jacobo Waiselfiz. Em sete Estados e no Distrito Federal, as mortes provocadas por esse tipo de acidente já podem ser consideradas uma epidemia. Em Rondônia, Roraima, Tocantins, Paraíba, Piauí, Santa Catarina, Brasília e Mato Grosso do Sul, a taxa ultrapassa 10 mortes por 100 mil habitantes.
As maiores vítimas dos acidentes são jovens. O trabalho mostra que é na faixa entre 15 e 24 anos que o número de mortes é expressivamente maior do que nas demais idades. "Em nenhuma outra categoria de veículo constatamos tal fenômeno", completa o pesquisador. Entre 2004 e 2008, os óbitos juvenis aumentaram 15 vezes mais que no restante da população.
Para o pesquisador, os números evidenciam a necessidade de se adotar rapidamente medidas para formação e treinamento de motociclistas, além de um reforço em todo o sistema de fiscalização. "Caso nada seja feito, a tendência é de que as estatísticas de trânsito piorem ainda mais."
No período analisado pela pesquisa Mapa da Violência foram registradas 38.273 mortes nos diversos tipos de acidente de trânsito. "Guerras como a das Malvinas tiveram número de vítimas menor", lembra Waiselfiz.
Código. O trabalho identificou uma redução de mortes depois do novo Código de Trânsito Brasileiro, de 1997. Mas os reflexos não se mantiveram por mais de três anos. Em 2000, a curva de acidentes fatais voltou a subir. A exceção fica por conta de acidentes envolvendo pedestres, que caíram de forma significativa ao longo do período.
O número de acidentes fatais entre ocupantes de automóveis duplicou. Entre os de caminhão, triplicou. E entre os ciclistas, quadruplicou. "Ao fazer uma análise do avanço da frota, no entanto, percebemos uma tendência de queda nos acidentes fatais. Mas algo que foi totalmente neutralizado pela explosão de mortes entre motociclistas."

25 comentários:

ONG ALERTA disse...

Motos tem sido uma grande preocupaçáo neste país, regras mais duras e fiscalizaçáo sáo importantes.

Cancer de Mama Mulher de Peito disse...

Lizette.
Minha mãe é de uma cidade no interior da Bahia.
De uns anos para cá, você tem os mesmos riscos de ser atropelada em SP como lá.
Dificilmente uma casa não tem mais que três motos.
É uma coisa absurda.
A grande maioria não tem carta, não se vai no quarteirão da esquina a pé.
As pesssoas estão ficando obesas, omissas e irresponsáveis.
E para não perder o comentário, nossos governantes não estão nem aí, só engordando os seus bolsos.
E a nossa Presidente, chora na saída deles.
Lágrimas de Crocodila.
Isso é fato.
Bjs.
Wilma
www.cancerdemamamulherdepeito@blogspot.com

Zil Mar disse...

Oi Lisette...

é uma verdade muito triste...

perdi um amigo esses dias que tinha uma moto há 2 meses...de 36a...era o sonho dele ter essa moto...carro ele teve tudo o que queria...e o pai sempre adiou esse presente...foi uma morte inexplicável...dentro da cidade...saiu do restaurante...e aconteceu o acidente depois de 100 metros...

desculpe o desabafo querida...

fique com DEUS....

MEU CARINHO....

Zil

Ângela Coelho disse...

Lisette, estivemos em Porto Alegre semana passada e fiquei apavorado com a maneira dos motoqueiros dirigirem, eles ultrapassam pela direita ou pela esquerda e ficam ziguezagueando na tua frente.
Quando estamos próximos a eles precisamos rezar o tempo todo.
Beijos.

Só pra você disse...

Cara Alessandra,
Estatística muito alta mesmo para tantas mortes. Amiga, tenho visto no nosso trânsito a imprudência dos motoqueiros e só posso culpá-los por vários dos acidentes que ocorrem com eles. Você deve ser motorista e percebe isso. Eles precisam se conscientizar que a vida é única e que estão em desvantagem em questão de segurança. Eu espero que isso ocorra logo. Obrigada pela sua visita ao meu blog, eu gosto muito quando aparece, disponha, é seu também.

Beijocas.

Valéria Sorohan disse...

Só ontem no trajeto do meu trabalho, eu vi três caídos no asfalto.

Meu beijooO*

Wanderley Elian Lima disse...

Triste realidade.
Beijos

Andradarte disse...

Não há volta a dar....O mal é universal....Não queira saber o que vai deste lado de cá,....
Abraço

AC disse...

Se o nosso tipo de sociedade funcionasse com base no respeito pelos outros, não seriam necessárias medidas repressoras. Mas, infelizmente, a realidade é muito diferente...

Beijo :)

Mafia Sonora disse...

Eu sei é perigoso, eu sei que a taxa de acidentes aumentaram, mas eu amo andar de moto, mas reconheço que é complicado estar encima de uma, nem todo motoqueiro está preparado pra isso, e nem todo motorista de carro também não.

M. disse...

Se for como cá: a maioria jovens...

Idade complicada para morrer.

ValériaC disse...

Lamentável amiga, algumas providencias teriam que ser tomadas para minimizar isso ao máximo...mas temos que convir que muitos motociclistas abusam demais e neste transito caótico que enfrentamos, além de que o transporte em si os deixa muito vulneráveis.
Beijos...
Valéria

Toninhobira disse...

Educação,educação, respeito as leis, conscentização dos motociclistas da vulnerabilidade deles neste caotico transito.
Um abração Lisette.
Bju de luz nos seus dias.
Que Deus nos proteja sempre e sempre.

Lilá(s) disse...

Oi Lisette, que triste realidade! e os alertas são muitos...
Bjs

Lindalva disse...

Amor é mais que vida amiga Lisette, mesmo diante de tanta desgraceira...
e como é vida te espero domingo na minha Ilha para comemorar mais um ano meu nesta passagem chamada vida. Beijos no coração, muita iluminação em tua estrada!

Carla Fernanda disse...

Os motoqueiros aqui de aracaju são terríveis, imprudentes e todo santo dia tem acidente de moto. Incrìvel!
Beijos querida!!
Carla

Amor feito Poesia disse...

" A serenidade absoluta
não é a lei do oceano,
o mesmo acontece
com o oceano da vida".

(Gandhi)

Beijos e carinhos meus...M@ria

Tatiana Moreira disse...

As pessoas precisam se conscientizar de que esse meio de transporte requer além de cuidado muito equilibrio emocional.

Um abraço carinhoso

soninha disse...

Esse número é assustador,vemos cada dia mais motos nas ruas, e a imprudência desses motociclistas ajuda a aumentar essa estatística...

Van disse...

è realmente impretiva a necessidade de regular, educar, treinar e coibir as atitudes dos motoqueiros, visando diminuir o número de acidentes que sofrem ou provocam, é absurda a ação deles no trânsito e cada vez mais crescente a frota de motos nas ruas, sem nehuma intervenção educacional e proibitiva.

Bom final de semana Lizette, mil beijos1

Miguel disse...


Boa tarde!
"Mas os que esperam no senhor, renovarão as suas forças, subirão com asas como águias, correrão e não se cansarão, caminharão e não se fatigarão." (isaías 40:31)

Desejo que seu fim de semana seja de paz!


http://www.youtube.com/watch?v=Ir6rGNmjRiU

Deus seja contigo.


Blog Yehi Or!

http://www.hajalluz.blogspot.com

Magia da Inês disse...

。˚✿•
Amiga,
Voltei...
Bom fim de semana!...
Beijinhos mineiros.
✿•.¸¸♪♫♪
。˚ ˚ ˛✿

Gracinda disse...

Muito obrigada por sua amável visita! Acabo de atualizar e estou te esperando! Bom final de semana! Paz, Luz e Harmonia!

Marinha disse...

Todas as iniciativas são bem-vindas para preservar a vida!
Bjo no coração, amiga.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Quem me dera viver na Suécia.Em
Portugal eu tenho medo de entrar
num carro e sobretudo levar
crianças e ir a qualquer lado...
Ninguém se convence que um carro
é uma arma.
Desejo que esteja bem.
Beijinho
Irene