Translate

domingo, 25 de abril de 2010

O vigor da Lei Seca

O vigor da Lei Seca
O número de processos de suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) dobrou no Rio Grande do Sul desde a implantação da Lei Seca, passando de 9.325 (nos 21 meses antes da nova legislação) para 18.674 (nos 21 meses posteriores).
As novas regras também provocaram outra mudança. Do total de processos, 53% correspondem a casos de embriaguez. No período anterior, eles representavam 43,5%.A sensação de que o cerco aos motoristas embriagados diminuiu nos últimos meses no Rio Grande do Sul é só aparente.
Desde que foi implantada a Lei Seca, há quase dois anos, o número de processos de suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) abertos pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran) dobrou no Estado.
Foram abertos 9.325 nos 21 meses antes da lei e 18.674 nos 21 meses posteriores.No mês passado, o descrédito da população na fiscalização da Lei Seca ficou evidente em um estudo divulgado pelo Núcleo de Estudos e Pesquisa em Trânsito e Álcool (Nepta) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
Na pesquisa, 85,9% dos entrevistados admitiram que haviam bebido e dirigido nos 12 meses anteriores por acreditar que não seriam parados em barreiras policiais, apesar de 63% serem favoráveis à nova lei.Termômetro da fiscalização da lei que impõe tolerância zero ao álcool nas estradas, o Detran reflete em suas estatísticas que os motoristas gaúchos estão soprando mais o bafômetro.
Nos dois anos anteriores à Lei Seca, a participação dos casos de embriaguez no total dos processos de suspensão do direito de dirigir abertos pelo Detran oscilava entre 38,6% e 40,8%.Com a implantação da nova legislação, a participação aumentou consideravelmente, atingindo o pico de 59,3% no ano passado.
O restante dos processos administrativos foi instaurado por pontuação, quando o motorista excede 20 pontos por transgressões diversas no período de 12 meses, entre a primeira e a última multa.Do total de 18,6 mil processos de suspensão do direito de dirigir abertos no Estado desde que a lei entrou em vigor, a embriaguez ao volante corresponde a 53%, superando os casos de excesso de pontuação, que até então predominavam.
Em 21 meses, foram abertos processos contra quase 10 mil motoristas gaúchos flagrados dirigindo embriagados. Por pontuação, foram abertos 8.759 processos no mesmo período.O cenário atual é distinto do observado nos 21 meses anteriores à lei de tolerância zero ao álcool. Naquele período, os processos de perda da CNH abertos por excesso de pontuação correspondiam a 56,5% do total. Já os processos envolvendo embriaguez representavam 43,5%.Paralelamente ao maior rigor nas estradas, o Detran dobrou o volume de processos administrativos contra os motoristas depois da sanção da Lei Seca.
O número de processos por embriaguez saltou de 4.064 (nos 21 meses anteriores à nova lei) para 9.915 (nos 21 meses posteriores), um incremento de 143%. Já os casos de excesso de pontuação passaram de 5.261 para 8.759, um aumento de 66,4%.Casos tratados com prioridadeO maior rigor aos motoristas embriagados também existe dentro do Detran.
O diretor técnico do departamento, Ildo Mário Szinvelski, afirma que os processos de suspensão por embriaguez são tratados como prioridade número um, ao lado de excesso de velocidade, em detrimento aos demais casos.
Além disso, desde que a lei que baixou a zero a tolerância ao álcool no trânsito entrou em vigor em todo o país, em 20 junho de 2008, o número de multas aplicadas nas rodovias federais e estaduais se manteve no mesmo nível ou aumentou.
Nas vias estaduais, as autuações passaram de 427 no segundo semestre de 2008 para 591 no mesmo período do ano passado, um aumento de 38,4%. Já nas estradas federais, o salto foi ainda maior no mesmo período: de 588 para 940, um incremento de quase 60%, no período.
A tendência do primeiro semestre de 2010 é superar o volume de multas aplicadas no mesmo período de 2009 nas estradas.
– Continuamos autuando e prendendo motoristas embriagados nos mesmos moldes do início da lei. Não houve diminuição da fiscalização. O que diminuiu foi o foco da mídia para a Lei Seca – avalia o tenente-coronel Edar Borges Machado, que responde pelo Comando Rodoviário da Brigada Militar.maicon.bock@zerohora.com.br
Fonte: Zero Hora, 25 de abril de 2010

26 comentários:

ONG ALERTA disse...

Lei sem fiscalização não resolve...
As estatísticas tem mostrado que os acidentes em geral só aumentam.

Minhas trilhas disse...

O fato é que ter que ficar em cima, é não descuidar um minuto...tem que haver sim leis, mas tem que haver fiscalização, cobrança mesmo e multas pesadas..infelizmente o brasileiro só entende as coisas quando pesa no bolso...

Francisco disse...

Concordo com o tenete-coronel Edar Borges Machado.
A mídia deveria divulgar mais esses dados, como fazia no início da implementação da lei.
A pergunta que fica, é a seguinte: Com tanta fiscalização e autuação, porque o número de acidentes aumenta cada vez mais?
Abraços e muita Paz!

Chica disse...

Que pena que aconteça isso...è preciso fiscalização,senão!!!

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga.

Hoje a minha visita é para agradecer.
Nestes dias que celebro a minha vida,
tenho certeza de que a mesma
não teria o brilho de hoje,
se não fossem os amigos e amigas
que a tornam valiosa
mesmo que distantes.

A ti gostaria de dizer obrigado:
Obrigado pelas visitas ao meu blog.
Obrigado pelas palavras semeadas.
Obrigado por sentir os meus textos
com os olhos do coração.

Sou eternamente grato a vida,
por mais estes presentes
que de modo gentil
deixas em minha vida,
fazendo de mim uma pessoa melhor,
e pleno de felicidade.

Lindos dias de vida para ti.

Priscila Rodrigues disse...

viva a lei seca..

Infelizmente uns ou outros passam despercebidos, mas a lei esta rigorosa, porém, não para aqueles que aceitam propinas. É isso que faz não dar certo.

Mas é a vida..

Querida, muito obrigada pelo seu comentário, adorei.

Beijos..

Suziley disse...

Bebida e direção não combinam mesmo. Para maior eficácia da lei seca há necessidade da fiscalização séria e competente. Bom final de domingo, Lisette, beijos, ;)

Pensamentos da Mila disse...

Olá!

Também acho que a mídia deveria continuar divulgando os dados sobre a fiscalização, ajudaria, e muito, na execuçao da lei..

Bjs

Mila

Sil.. disse...

Lisette, primeiro obrigada pelo carinho no meu blog, vim retribuir.
Acho esse assunto de suma importância, mas uma pena que no nosso Pais, as coisas não são levadas a sério. Cansei de ver reportagens de motoristas embriagados, que são soltos após pagar uma fiança ridicula, enquanto várias familias são destroçadas, destruidas por culpa de pessoas que não deveriam estar circulando no nosso meio.
Choro nessas entrevistas, com mães que perderam seus filhos, filhos que perderam seus pais,e por ai vai, porque toda perda é doida, incurável, apenas amenizada pelo tempo.
Eu tenho Fé que as coisas mudem nesse nosso País, que as leis possam ser mais sérias, e as pessoas punidas como deve ser.
Sempre quando pego o meu carro, seja pro que for, buscar minha filha no trabalho e ai vai, peço a Deus para que nada nos aconteça. Infelizmente hoje, a gente tem que dirigir pelos outros, com medo.
Deus tenha misericórdia disso tudo.
A corrente continua.
Um grande abraço, de coração!

Lady disse...

Com certeza, a mídia deveria divulgar sempre os dados sobre a fiscalização, para ajudar a execuçao da lei.
Tenha uma ótima semana.
Bj

Vieira Calado disse...

Lei seca?

Era o que faltava!

Bjs

Rosemildo Sales Furtado disse...

realmente, não adianta ter "LEI", se não tiver fiscalização.

Continuas fazendo um belo trabalho. Parabéns!

Beijos e uma ótima semana pra ti e para os teus.

Furtado.

Pelos caminhos da vida. disse...

A lei só funciona onde tem fiscalização.

Uma semana de paz, luz, saúde e amor pra vc amiga.

beijooo.

seu gordo disse...

obrigado por seguir seugordo passei olhei gostei seguirei srsrrs boa sema p vc paz sempre

Mimirabolante disse...

Temos que nos colocar no lugar de quem perde um ente querido.....as vzs as pessoas precisam sentir na pp carne,o desespero alheio....sou a favor de :se beber,não dirija.....respeite a vida !!!ame o próximo.....

M@ria disse...

Estou aqui
apenas para uma visita breve
sem passaporte ou bandeira.

Sem limites... sem identidade.

Me deixando espalhar em pétalas
para que meu suave perfume um dia seja saudade.


(Rosy Moreira)

Feliz semana com amor, paz e poesia... M@ria

Sônia Silvino disse...

Acho que as "punições" são leves demais para algo tão sério. Por isso, há tantos alcoólatras dirigindo ainda!
Paz no seu coração, amiga Lisette!

valentinarosin disse...

Amiga!
As pessoas são muito irresponsáveis. As leis deveriam ser mais, muito mais duras com eles.
Bjsssss!

Daniel disse...

A Lei Seca um dos grandes avanços da legislação de transito, porém, já não está tendo a mesma eficácia do início. Tem texto novo no Sub Mundos. Bjus.

http://submundosemmim.blogspot.com

Zeze Mendez disse...

Bom seria que em todos os estados contuassem arrochando os motoristas bêbados e irresponsáveis.
Tenha uma bela semana, cheia de paz, alegria e sucesso!!

Amor feito Poesia disse...

[...]Passam os séculos, os homens, as repúblicas, as paixões; a história faz-se dia por dia, folha a folha; as obras humanas alteram-se, corrompem-se, modificam-se, transformam-se. Toda a superfície civilizada da terra é um vasto renascer de coisas e idéias.”

Machado de Assis


Feliz semana e Bom Dia!!!!

Felina Mulher disse...

Leis, existem aos montes, mas ficam somente no papel,,,,é preciso a aplicação, a punição, a cobrança.


Um beijo Ale...uma excelente semana!

ValériaC disse...

Lisette, espero mesmo que a fiscalização e a lei sejam cumpridas, pois bebida e direção é uma combinação extremamente perigosa. Pensando no número dos motoristas que são pegos,fora os que não são... é absurda a quantidade de motoristas com tanta irresponsabilidade.
Beijos...

Everson Russo disse...

As leis estão ai para serem cumpridas....temos que fazer funcionar...cobrar das autoridades....uma bela semana pra ti....

Mariana disse...

Está país parece uma ilha da fantasia só que com piadas sem graça e histórias tristes.
Poucas leis beneficiam o bem, e as que existem não funcionam.
Será q um dia isto mudará?

soninha disse...

Tem que haver sim fiscalização e punição,pois hoje pessoas matam no trânsito pagam uma fiança e voltam pra casa.