Translate

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Pai de vítima do trânsito no ES relata dor em semana de conscientização

Semana Nacional do Trânsito começa nesta quarta-feira (18).

Nesta data, Aníbal José lembra aniversário de filho morto em acidente
 Carro em que estava o filho de Aníbal. (Foto: Reprodução/TV Gazeta)

Carro em que estava o filho de Aníbal.

(Foto: Reprodução/TV Gazeta)
 
 

Há quase um ano, o servidor público Aníbal José de Souza não tem mais o convívio diário do filho Vinícius de Souza, que faria 24 anos nesta quarta-feira (18). O jovem morreu em um acidente no final de 2012, na GrandeVitória, após pegar carona com um amigo que havia bebido, voltando de uma festa. No Espírito Santo, são muitas as famílias que compartilham da dor de terem perdido filhos, pais, mães em situações parecidas, e que poderiam ser evitadas. Coincidentemente, nesta data que traz lembranças para a família de Vinícius, também é iniciada uma campanha de conscientização, mais uma tentativa de conter esse tipo de violência: a Semana Nacional do Trânsito, que acontece em todo o Brasil.

O pai lembra com saudades do filho e contou que ele não tomava bebidas alcoólicas, mas na noite do acidente, cometeu os erros de pegar carona com um amigo alcoolizado e de não usar o cinto de segurança. "Meu filho ia na balada com os amigos porque ele sempre trazia o carro, mas naquele noite, o amigo bebeu e falou para ele que estava bom. Não deu o carro. Na volta, meu filho estava sem cinto, o que foi outro erro, e morreu. O outro rapaz morreu uma semana depois”, disse.
Quase um ano após o acidente, família de Vinícius não se conforma (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Quase um ano após o acidente, família de Vinícius não se conforma (Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Ele acredita que a falta de fiscalização também contribui para a grande quantidade de acidentes envolvendo motoristas embriagados. “A fiscalização é muito mal feita. Na noite que meu filho morreu, se tivesse uma blitz, talvez tinham parado eles e meu filho ainda estaria comigo, comemorando o aniversário dele. Hoje, basta você sair na rua para ver que muita gente não segue as normas de trânsito", falou o pai.

A Semana Nacional do Trânsito é uma campanha do Departamento Nacional de Trânsito (Detran), que neste ano tem como tema "Álcool, drogas e direção: Mantenha distância". De acordo com o diretor geral do Detran-ES, Carlos Lopes, os casos envolvendo ingestão de bebidas e entorpecentes são os que mais provocam acidentes no Espírito Santo.

"Nosso objetivo é trabalhar a conscientização dos motoristas. A questão da segurança no trânsito no Brasil hoje é cultural, deve ser trabalhada com todos os condutores, com ações educativas e preventivas. Temos boas expectativas no Espírito Santo, a ideia é que contribuamos para promover essa mudança cultural na mentalidade das pessoas, para que possamos tem um trânsito cada vez mais humano e seguro", disse. A abertura da campanha acontece nesta quarta-feira, em Vitória.

É lamentável, pois os únicos condenados em crimes de trânsito são as famílias das vítimas"

Fabiano Contarato, delegado de Trânsito

Atropeladas ainda se recuperam;

Relacionado ao tema da campanha, outro acidente envolvendo motorista embriagado, que ganhou grande repercussão, foi o atropelamento de mãe e filha na Reta da Penha, em Vitória, em outubro de 2012. O condutor era um médico psiquiatra, que após atingir as vítimas e bater em uma farmácia, foi flagrado por uma câmera de videomonitoramento tentando esconder uma garrafa de cerveja que estava dentro do carro. A mulher, Elisângela Pereira, chegou a ficar internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O médico ficou preso durante três dias, mas foi solto após pagamento de fiança.

Dez meses após o acidente, o pai e marido das vítima contou que elas estão bem, mas ainda em processo de recuperação e dependendo de remédios. "O médico liberou minha esposa para trabalhar há pouco tempo, mas mesmo assim não pode ficar muito, se desgastar muito. Ela ainda trabalha na mesma casa de família de antes do acidente. Tomar remédios ainda faz parte do processo de recuperação. A minha filha também está se recuperando bem, já foi liberada para ir à escola", disse Alexandre Pereira. Uma irmã de Elisângela tem está a ajudando no trabalho.
Câmera flagrou momento que médico joga fora uma garrafa de cerveja, após atropelar mãe e filha, no Espírito Santo (Foto: Reprodução/TV Gazeta)

Câmera flagrou momento que médico joga fora uma garrafa de cerveja, após atropelar mãe e filha, no Espírito Santo (Foto: Reprodução/TV Gazeta)

Fiscalização

Apenas neste ano, em todo o Espírito Santo, três mil motoristas já foram multados por embriaguez ao volante. Dessa forma, o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar garantiu que há fiscalização, e até um novo projeto que entrou em prática recentemente, com intuito de prevenir acidentes provocados por motoristas alcoolizados.

A ideia é que um policial a paisana esteja sempre em locais de muito movimento de bares, principalmente à noite, observando se algum motorista vai dirigir após ter bebido. "O policial fica em um veículo descaracterizado, vigiando pelo tempo que for necessário, principalmente no horário da noite e da madrugada, e assim que algum cidadão embriagado tentar assumir a direção do veículo, o policial vai passar essas informações para a viatura", disse o tenente coronel Marcelo.

Delegado aponta falhas na legislação

O delegado de Trânsito, Fabiano Contarato, acredita que os acidentes desse tipo só vão diminuir quando a legislação mudar. Para ele, a lei atual colabora com a impunidade desses motoristas. "Prova disso é que nos temos flagrantes de motoristas dirigindo sob influência do álcool ou qualquer outra substância de efeito psicoativo, que causaram acidentes há cinco, seis anos, e não tiveram sua carteira suspensa. É lamentável, pois os únicos condenados em crimes de trânsito são as famílias das vítimas", disse.

Fonte :G1

34 comentários:

ONG ALERTA disse...

E tem pessoas que passam reclamando da vida...
O trânsito precisa mudar o povo precisa ser educado!
Esta é a maior campanha EDUCAÇÃO!

Flor de Jasmim disse...

Não consigo conter as lágrimas Lisette.
Não existem palavras de conforto, muito menos de conformar.
Não sei que dizer amiga.

Esta data para mim também é muito marcante 18 de setembro 1995 dia do funeral do meu marido, dia 17 o dia da morte.
dia 16 setembro 2008 dia da morte do meu neto, o funeral a 17.

beijinho e uma flor

Anete disse...

É difícil, doloroso constatar acidentes como este!
É importante a conscientização e educação no trânsito!! MUITO IMPORTANTE...

O MEU ABRAÇO, LISETTE...
Boa Noite...............

Cancer de Mama Mulher de Peito disse...

Triste demais.
Nem mesmo uma blitz em cada esquina do nosso imenso país, resolverá o problema, se nós não nós conscientizarmos que o carro é uma arma, e a menor desatenção, pode custar a nossa vida e a dos demais.
Orgãos públicos e público juntos.
Sofrimento e lagrimas, triste.
Bjs.
Wilma

Dorli disse...

Oi Lisette

Esse é o nosso país da impunidade!
Eu morro e o país irá continuar cada vez pior, não vejo nenhuma expectativa de melhora.
Estamos precisando de UMA MÃO DE FERRO.
Beijos
Lua Singular

BIA disse...

O BRASIL é o país que isto mais acontece devido a falta de respeito, educação e impunidade... é muito difícil viver em um país onde corruptos são verdadeiros marginais criminosos que fazem leis para eles continuarem roubando e sendo absolvidos, uma vez saiu uma reportagem de uma mãe que roubou pão e margarina para dar a seus filhos com fome, ela foi para cadeia, agora os criminosos no poder são absolvidos... QUE PAÍS É ESTE? Tudo isto é muito triste e lamentável...
Bjs

Ane disse...

Gente, é muito triste ver o sofrimento das familias de luto por um parente morto no transito...acho que além desta campanha deveriam proibir as propagandas de bebidas e punir severamente quem não cumprir a lei.Um abraço!

Pérola disse...

Uma tragédia sem direito a aniversário.

beijo

Clau disse...

Oi Lisette :)
Uma frase do texto resumiu bem o que esses acidentes acarretam:
'os únicos condenados em crimes de trânsito são as famílias das vítimas.'Infelizmente isso é fato.
Bjs!

Graziella disse...

Muito triste ver histórias como essa!!! E infelizmente cada vez fica mais comum...
É preciso a mudança JÁ

Ivone disse...

Minha amiga Lisette, infelizmente ainda veremos muitos acidentes no trânsito, as pessoas bebem e saem dirigindo como se nada estivessem fazendo de errado, pois nossas leis são brandas, há brechas para tudo! Que pena!
Abraços!

Maria Alice Cerqueira disse...

Querida amiga,
Saudades!
Um lindo dia para você, coberto de muita paz e amor!
Com carinho
Abraço amigo!
Maria Alice
Htts://www.facebook.com/mariaalicefcerqueira
Blog http://www.mariaalicecerqueira.com/
Site http://www.mariaalicecerqueira.com.br

Pepi,Xixo,Juja,Jujuba disse...

Me emocionei, Lisette
Muito triste isso!!!
Tenha um ótimo final de semana
Beijinhos e o meu carinho
Verena e Bichinhos

Magda disse...

Olá Lisette!
As pessoas precisam ser mais cautelosas no volante e não beber quando dirigir.
É possível, sem dúvida, diminuir drasticamente os acidentes de trânsito, basta ter mais respeito com a própria vida e com a vida do próximo.
Beijos.

Tetê disse...

Lisette, só a educação para o trânsito é que vai por um fim nesse tipo de coisa. Acidentes de trânsito, sempre vão ocorrer, mas beber e dirigir já deixou de ser acidente! A pessoa que faz tem plena consciência do que está fazendo! Bjks e bom final de semana Tetê

Tina Bau Couto disse...

E as pessoas tem medo de avião, de cobras, de doenças e o trânsito segue fazendo vitimas que vão e que ficam.
O maior medo (digo com educação e conscientização) incutido desde a infância e tido por tds e com o medo, a mudança, devia ser do trânsito.

Beijos querida!

Nal Pontes disse...

Violência no trânsito é sempre triste. Principalmente qd há vitima e as marcas ficam para sempre na família. Que haja mais alertas quem sabe um dia isso mude. bjsss

Dorli disse...

Boa tarde Lisette
Passando para agradecer o comentário.
Tenha uma noite de Luz
Beijos
Lua Singular

MARILENE DOMINGUES disse...

Olá Lisette! É sempre muito triste e desolador esses acidentes...Dor sem remédio e sem cura.EDUCAÇÃO realmente é fundamental.
Beijos com carinho e um abençodo final de semana.
Marilene

marciagrega disse...

Muito triste e emocionante.,
Que Deus dê conforto pra esta família...

Beijão

Toninho disse...

Lisete os relatos de E.S são dolorosos mesmo e Vitoria que já vive uma violência armada tem mais esta guerra para combater.As táticas pensadas são ações que deveriam estar em pratica em todas as cidades onde o consumo de álcool é conhecida,como nas capitais litorâneas.
Precisamos de estratégias neste combata oa alcoolismo e volante.
Lindo fim de semana amiga e que Deus nos proteja nesta selva.
Meu terno abraço de paz e luz.
Bjo

Crista disse...

Me dá uma dor tão grande...quando leio e vejo esses fatos!
Imagino como devem se sentir aqueles que perderam alguém de sua família,dos pais que perderam seus filhos e vice-versa...
Até quando isso vai continuar desse jeito????
Beijo-te com carinho...

Renata Diniz disse...

Oi Lisette. Somente Deus para fortalecer essa família diante dessa tragédia. Quanto sofrimento a violência do transito provoca. Beijo.

lis disse...

Muito triste mesmo .As cidades estão se tornando cada dia mais violentas em todos os sentidos.
Lamentável!
A segunda nóticia sobre o acidente da Reta da Penha eu havia lido porque passo temporadas em Vitória e estava por lá à ocasiao,
muito triste ver que um médico que deveria ter a responsabilidade de cuidar de vidas estava' bebendo e dirigindo' em via publica.
Falta educação de berço eu acho,porque na escola eles até vão...
um abraço grande e bom fim de semana

Luconi Marcia Maria disse...

Impossível calcular a dor da perda de alguém que se ama, eu acredito que a maior dor e mais difícil de se superar é a perda de um filho (a), ainda mais de forma trágica. Mortes trágicas sempre podem ser evitadas, sempre, em um segundo tudo pode mudar, basta permitimos que a voz da consciência fale mais alto, pensarmos um pouquinho em nosso próximo, na possibilidade de feri-lo com nossas atitudes impensadas por acharmos que o mal nunca irá chegar até nós, pararmos de contar com a sorte, pararmos de nos acharmos acima do bem e do mal.
Falta realmente consciência da fragilidade e pequenez humana, beijos Luconi

teca disse...

Lamentável e triste...

Beijos.

Lucinalva disse...

Olá Lisette

É muito importante a educação no trânsito. Bjs querida.

lita duarte disse...

O povo precisa mudar.
Mudanças acontecem a partir da sociedade.

Bjs.

Brisa Petala disse...

BOM DIA
Amiga doi por demais ver quanto acidente.Fiz uma homenagem para a Marly Basto no meu blog. ASSUNTO
ela perdeu o esposo dela. http://brisa-petala.blogspot.com.br/
Um feliz dia para vc.
Ana

Andradarte disse...

Olá Lisette....O seu trabalho aqui
é fantástico....Todos os acidentes são dramaticos...e difícil fica a vida dos que por cá ficam a chorar
os mortos e 'estrupiados'...
Blog de utilidade publica...
Beijo

Rita disse...

Um belo trabalho feito para instruir as pessoas que não respeitam mais esse transito louco...pelo demais estou sem palavras, muito triste mesmo

Bom final de semana
Abraços

└──●► ¸.·*Rita!!

Lu Citadin disse...

Não basta só mudar a legislação é preciso mudança de comportamento.

Tetê disse...

Bom domingo! Bjks Tetê - De Bem com a Vida

Anne Lieri disse...

Histórias muito tristes que acaba com toda a familia!Mais que a fiscalização,a sinalização nas estradas está muito precária.bjs,