Translate

sábado, 29 de maio de 2010

Não faça a sua família sofrer

Em pouco menos de oito horas, sete jovens de 18 a 28 anos morrem em acidentes no Estado, enlutando famíliasUma tragédia anunciada, que se repete quase diariamente com assustadora crueldade, condenou sete famílias gaúchas a um luto que jamais será aplacado. Em menos de oito horas, a ceifadeira de vidas em que se transformou o trânsito levou jovens entre 18 e 28 anos, nos municípios de Três de Maio, Picada Café e Porto Alegre.
Todos os acidentes ocorreram entre o final da noite de quinta-feira e a madrugada de ontem – horário em que as ruas das cidades e as rodovias se tornam territórios de ninguém. Todos envolveram manobras arriscadas ou excesso de velocidade, o que evidencia o despreparo dos motoristas. Resultado: pais e mães tiveram de sepultar seus filhos, na mais dolorosa inversão da lógica da vida.
A primeira tragédia foi na rodovia Três de Maio-Horizontina (ERS-342), na região Norte, quando um Vectra e um Logus bateram de frente. Morreram Claudicir Stiegelmaier, 28 anos, Robson Wollmuth, 22 anos, e Martinho Binicheski, 23 anos. Mais três pessoas ficaram feridas.
O que já bastaria para comover o Estado estava apenas no início. Por volta das 4h de ontem, em Picada Café, na Serra, um automóvel Celta saiu da pista e capotou na BR-116.
Tombaram Djordan Wazlawosky, 21 anos, Guilherme Brito Lopes, 25 anos, e Rafael Lopes Drum, 18 anos. Quase ao mesmo tempo, Andrigo Ribeiro Vargas, 22 anos, morria ao colidir o Fusion que dirigia em Porto Alegre.
A perda dos sete rapazes confirma uma tendência que deveria alarmar as autoridades e estarrecer a sociedade. De janeiro a março deste ano, os desastres com mortes aumentaram 9,9% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo o Departamento Estadual de Trânsito (Detran). De 1º de janeiro até ontem, eram 621 vítimas.
A frieza dos números oculta dramas que somente os órfãos de filhos podem avaliar. Na manhã de ontem, ao saber das mortes em sequência, a presidente da Fundação Thiago de Moraes Gonzaga, Diza Gonzaga, sentiu-se ainda mais pesarosa do que o costume. Foi no mês de maio, em 1995, que ela perdeu o filho Thiago num acidente. A coincidência a abalou:
– Sinto essa dor, que não é só física.
Mulheres de maridos mortos são chamadas de viúvas. Filhos de pais falecidos são órfãos. Mas Diza Gonzaga alerta que não há definição para mães e pais separados abruptamente dos filhos, tamanho o desamparo a que são sentenciados.
– A morte de um filho a gente não pode superar, porque um filho não morre.
Fonte: zero hora, 29/05/2010

29 comentários:

ONG ALERTA disse...

Os governos estam preocupados com eleições, alianças, votos e como fica a vida, o trânsito mata todo dia e não vemos nenhum político comentar sobre este assunto e nem ter atitude...
Os órgãos responsáveis sempre culpa os motoristas, mas será que nossas ruas, estradas e avenidas estão em condições, todos precisam fazer sua parte para tentar diminuir a dor de uma mãe.
A vida de uma mãe fica sem sentido quando um filho parte...

Chica disse...

É com tristeza que vemos essas repetições de tragédias...

Mila disse...

Eu leio isso e fico aqui com meus bebes imaginando quem perdeu o seus, porque os filhos nunca crescem...quanto sofrimento para essas famílias.
Bjs Lisette

Psyamada. disse...

Olá!
Tem um selinho para você lá no meu blog,
espero que você goste; (^_^)
Tenha um bom fim de semana,
Fica com Deus. beijinhos.

Pelos caminhos da vida. disse...

Qtas tristezas para essas familias, mas fica aqui um alerta para os jovens:

velocidade excessiva

bebida...

não combina.

Se vcs jovens pensassem um pouco mais na vida evitariam tantas desgraças assim.

Que Deus ilumine a nova caminhada desses jovens e conforte seus familiares.

Amiga amanhã saberemos quem será o vencedor da copa blog, a votação vai terminar as 18 hrs.
Obrigada pelos votos que vc tem deixado lá como tb as mensagens.
Vc é especial para mim.

Fique em paz com muita luz em seu coração.

beijooo.

soninha disse...

Muita luz para essas famílias,cada vez aumenta mais o número de vitimas fatais e o governo não faz nada pra tentar diminuir esse número...

Hamilton H. Kubo disse...

Realmente não há definição para pais e mães que perdem seus filhos.
Isso é incoerente, sem lógica, onde esta o ciclo da vida?
É triste ver tantas vidas, em puro momento de florescer, sendo findadas de forma abrupta e violenta.
O que se pode fazer me pergunto?
Enquanto não houver consciência de que de fato estamos acabando nos mesmos com nossa existência, nada pode ser feito.
É preciso que o ser aparentemente "pensante" pense realmente.

Beijos Lisette, nossos pesares às familias que perderam os seus.

angela disse...

Triste realidade essa, mais triste ainda porque poderia ser outra se todos cuidasem mais.
beijos

Zeze Mendez disse...

Opa!!!!
Olha, sofri um acidente esta semana e resolvi fazer uma postagem com fotos e tudo.
Dá uma olhada lá.
Esse trânsito está uma loucura e nenhum de nós não estamos mais livres...
Tenha um ótimo fim de semana, bjs

anita sereno disse...

as estradas estão cada vez pior
beijos de um bom fim de semana na companhia de quem mais amas fica bem anjo

Gracinda disse...

Muito obrigada por sua amável visita! Acabo de atualizar e estou te esperando! Bom final de semana! Paz, Luz e Harmonia!

ValériaC disse...

Como isso é triste ... não tem palavras para amenizar perdas assim...

Beijos

Tetê disse...

Oi Lizete! Acabo de atualizar o EcoBlog. Hoje, iniciando uma nova série, sobre coleta seletiva. Obrigada pela visita! Bjks e bom final de semana! Tetê

Mariana disse...

Fatos como estes tem se repetido com mais frequência e continua as autoridades e os motoristas sem partir para uma ação concreta contra esta guerra, q é possível sim, evitar.

Janetinha disse...

Meu Deus! Um dia essa matança tem que acabar. A dificuldade começa pela educação, pois as pessoas saem pelas estradas feito loucos, insanos, não podem perder um segundo e vão seifando vidas!

Pelos caminhos da vida. disse...

Vim te contar que meu blog é o vencedor da Copa Blog.

Obrigada amiga vc faz parte dessa conquista.

Bom domingo.

beijooo.

°°Nanda TavarescO°° disse...

Obrigadinha pela super visitaaa bejojo!

Francisco disse...

Acho que o poder público, deveria dar um basta nessa situação.
É inconcebível assistirmos de braços cruzados, tantos jovens perdendo suas vidas, e enlutando famílias.
Campanhas contra acidentes, como as que são feitas por ti e pela Diza, deveriam não só ter o total apoio do governo, como também poderia existir além da melhor fiscalização e prevenção, um movimento por parte das autoridades no sentido de visitar escolas e universidades, conscientizando esses jovens.
Até quando isso vai continuar?
Beijo e Paz, minha amiga.

Rosemildo Sales Furtado disse...

É lamentável, mas é a realidade do momento. Até quando persistirá, ningém sabe.

Beijos e ótima semana pra ti e para os teus.

Furtado.

Carlos Augusto Matos disse...

Nossa, que tragico!

Bjuxxx

Suziley disse...

Vamos fazer a nossa parte e que as autoridades públicas façam a sua também! Um bom domingo prá ti, Lisette, beijos ;)

Tetê disse...

Oi Lizete! Obrigada, querida, pela visita ao Tempo de Celebrar. Hoje, dia dedicado à Santíssima Trindade, atualizei! Fico feliz de ir te encontrando pelos meus cantinhos virtuais! Tenha uma semana abençoada! Bjks Tetê

Pérola disse...

Beijos minha linda.
Fica com Deus

ROSANA VENTURA disse...

É triste demais, e de fato, a dor não é só fisica...
Infelizmente não creio que o governo, o estado, em fim, quem poderia mudar um pouco essas estórias, estão mais preocupados com eleições, viagens, caixa 2,promessas e o não cumprimento das mesmas.

José disse...

Olá Lisete!

É verdade os acidentes cada vez são mais, a culpa pode ser do mau estado das estradas, mas a malta jovem também têm menos cuidado com eles e com os outros, aqui é igual.

abraço

*Teresa Cristina* disse...

Oiee!!
É triste mesmo estes acontecimentos, me lembro que quando estava com 14 anos meu irmão sofreu acidente de carro, estavam em 5 dentro do carro,meu irmão dirigia perdeu o controle do carro em uma curva, e bateu no poste. Minha mãe recebeu a noticia q ele havia dado entrada no hospital quase sem vida e q era pra ela comparecer lá urgente.....desde este dia minha mãe desencadeou pressão alta de fundo emocional, meu irmão graças a Deus sobreviveu, levou mais de 15 pontos na testa, por 6 anos sofreu fortes dores de cabeça, e teve q passar por nova cirurgia e tirar um pedaço de vidro que havia ficado ainda na testa, o amigo dele q estava na frente por pouco não perde a visão e os meninos q estavam atrás somente um quebrou a perna , foi falha mecanica, mas enfim é isto amiga.
Beijos e ótimo começo de semana pra ti!!

Cria disse...

Obrigada pela presença no meu espaço ... Vim te visitar e te 'conhecer' ... apesar de não ser um blog de poesias ou mesmo de crônicas literárias, sou parceira em te ajudar a divulgar teu blogue, portanto, SEJAS BEM VINDA !! Parabéns pela tua iniciativa. Deus te ilumine e te proteja nesta árdua caminhada. Beijos.

Carla Melani disse...

Acidentes em série, caos...Conheço esse caminho de Tres de Maio a Horizontina, muitos acidentes acontecem lá, tenho lembranças de muito tempo isso, que lástima cada um, cuidemo-nos!

JR disse...

Nossa, sempre que se aproxima um feriadão fico a pensar no resultado dos acidentes.
Que Deus ilumine todos os jovens e não tão jovens (corpo)que dirigem ou são dirigidos, principalmente em datas festivas, onde o uso abusivo na velocidade ,acelera o destino de muitos.
Abraços fraternos