Translate

sábado, 18 de outubro de 2008

A dor transformada em ação
















Zero Hora, 19 de outubro de 2008

TRÂNSITO

A dor que foi transformada em ação

Mulher do vice-governador cria ONG que questionará segurança das vias

Numa curva da Terceira Perimetral, um poste mal localizado ceifou projetos de vida e a alegria da juventude. A falha aumentou ainda mais a dor pela perda da filha. Mas serviu também de motivação à mãe, que transformou o luto em determinação para evitar que mais famílias sejam tragicamente desfeitas.Um erro na concepção do projeto da avenida, posteriormente apontado por especialistas em trânsito, agravou o acidente que determinou a morte de Alessandra Feijó, 18 anos, filha do vice-governador Paulo Afonso Feijó, ocorrida em fevereiro passado. A lembrança do sorriso da jovem que almejava correr o mundo serviu de motivação à mãe Lisette Feijó, 47 anos, para criar a Alerta, uma nova ONG voltada para diminuir a violência no trânsito.A Alerta, nome que surgiu da combinação de “Ale” – como a menina era chamada por amigos e familiares – e a própria conotação da palavra, será lançada durante o 40º Congresso Brasileiro de Ortopedia e Traumatologia, que ocorre entre os dias 13 e 15 de novembro na Capital.– O evento lançará, também, uma campanha de prevenção a acidentes de trânsito. Como fomos convidados a participar, resolvemos também apresentar a Alerta neste evento – explica Lisette.ONG quer alertar para vias mal projetadasChamar a atenção para o perigo de vias mal projetadas, que se transformam em armadilhas para os motoristas, será a principal bandeira da ONG.– A perícia nos mostrou que naquela curva (onde Alessandra bateu) não deveria existir um poste na beira da calçada, sem recuo nem proteção. Como uma Perimetral projetada pode ter um erro desses? Quando forem construir outras vias, isso não pode acontecer – ressalta.O símbolo da Alerta será uma placa de trânsito em formato triangular, que representará as três principais bases de ações: o veículo, a via pública e o motorista.– Esses fatores andam juntos. Não adianta focar só no motorista. As pessoas têm de conhecer o veículo, e as ruas precisam ser seguras – enfatiza.Com auxílio de engenheiros, peritos em trânsito e voluntários, Lisette tentará cumprir sua nova missão e fazer com que a morte de sua filha não tenha sido em vão:– Estou fazendo isso por ela. É uma maneira de preservar a imagem dela, de tê-la comigo.

Como funcionará a Alerta:

VIAS
O engenheiro Walter Kauffmann Neto, perito que trabalhou no caso de Alessandra Feijó, será um dos principais consultores da ONG (logotipo ao lado). Segundo ele, o trabalho será feito sob três bases – vias, veículos e motoristas.
Focará nas armadilhas que as ruas das cidades escondem, como a má localização de postes e árvores – normalmente sem proteção e fixadas junto ao meio-fio – e defensas metálicas (guard-rails) mal projetadas.
Como funcionará: a ONG pretende chamar a atenção de prefeitura, órgãos públicos e construtoras para projetar vias mais seguras. A intenção é solicitar alterações em vias atuais e em estruturas que serão construídas.
Exemplo: o Peugeot 307 que Alessandra dirigia bateu num poste numa curva na Terceira Perimetral (foto). Não havia guard-rail, e o poste estava muito próximo ao meio-fio.

VEÍCULOS
A maioria dos motoristas não investe em itens de segurança e não conhece tecnologias que podem diminuir impactos de acidentes.
Como funcionará: a ONG trabalhará junto a concessionárias, para que vendedores e técnicos possam auxiliar os clientes a investir em segurança e ensinar a usar os equipamentos.
Exemplo: O carro de Alessandra tinha freios ABS (sistema que evita que a roda bloqueie e derrape) mas ela não sabia como usá-lo – se o pedal trepidar, é porque está funcionando. A jovem perdeu o controle da direção e a batida atingiu a porta do motorista.

MOTORISTAS
A ONG chamará a atenção, principalmente de novos motoristas, com pouco tempo de carteira, sem experiência suficiente.
Como funcionará: por meio de palestras e ações de mídia, a ONG reforçará a importância dos motoristas respeitarem o seu limite e dirigir com mais consciência.
Exemplo: Alessandra tinha feito a carteira de motorista há poucos meses. Ela estava em velocidade incompatível com o trecho, mas poderia ter melhores condições de se salvar, se tivesse mais experiência ao volante.

RISCO
Na Capital, os choques contra obstáculos parados é o terceiro tipo de acidente mais comum. Veja os índices:
1° Abalroamento 48,5%
2° Colisão 32,5%
3° Choque 9,4%
Fonte: EPTC (junho de 2008)

12 comentários:

Mariana Moura disse...

Lisette, é a Luz da tua filha que virou estrela,que brilha lá do alto.Parece tão longe, que impedi de abraçá-la, mas não impedi que com o teu coração tu sintas ela perto de ti.A Alessandra é um Anjo que apesar de estar em outra dimensão,tão longe dos olhos humanos.Tu podes ver com os olhos do coração.Ela está ao teu lado Sempre, todos os dias.A Ale fará junto contigo esta ONG crescer,fará que os objetivos sejam alcançados, os obstáculos superados.Acredites, tu não estás só.
Deus ilumine este teu desafio e os teus passos.Lembre sempre, um dia por vez.Um beijo.

Lu Citadin disse...

Lisette, parabéns pela força de criar uma ONG em um momento tão dolorido.És uma guerreira!Bjs
Lu Citadin

silviane vezzani disse...

Lisette estaremos juntos nesta luta. A Kieling Multimodal tem um projeto de educação no trânsito que está disponibilizando para o ALERTA, se for de teu interesse. Não aparece o nome da empresa, pois a unica intenção é ajudar. Eu estarei no congresso. Tenha muita força e Luz. Beijos Silviane e Alberto

arthurmalcon disse...

"Tia" Lisette, estou contigo nessa luta. Nessa luta, e sempre! Tu sabes disso... E a Ale está conosco, sempre. Arthur Malcon

Carla Bauermann disse...

Lisette!!
Parabéns pela iniciativa da ONG!!
Estamos contigo e trabalharemos juntos nessa idéia!!
Bjs, Carla, Nati e Claudio.

Mariana Moura disse...

Caríssima Lisette, estaremos lá no lançamento da ALERTA.
"A verdadeira amizade é aquela que se confunde com as estrelas, nem sempre a vemos mas sabemos que está lá."
Lembres que a tua Estrela está brilhando nas tuas noites,que parecem escuras,mas jamais será.
Tens um Anjo Celestial e Especial ao teu lado,deixe teu coração sentir.
Receba hj o nosso abraço e dia 12daremos pessoalmente.Deus te ilumine e proteja Sempre tua família. Um beijo. Mariana e Gerson

Micaela CC Machado disse...

Lisette querida, desejamos uma caminhada muito vitoriosa nessa "estrada". Acho que serão muitas as conquistas para um mundo melhor, principalmente para os jovens e suas famílias. Estaremos sempre "ALERTA" para contigo sentirmos a Ale tão iluminada, quanto ela está na foto junto ao pai no BLOG. Conta conosco, com amor, Micaela.

Leonardo Andreolla disse...

Dinda, minha mãe me mostrou o BLOG da Ale. Tu tá linda, sei que hoje é dia das bruxas, mas acho que tu é uma fada, a fada do bem, que a Ale tanto falava, te amo, Leo.

marco andreolla disse...

Lisette, estaremos sempre ALERTA para este desafio pois durante as fases de maior adversidade que surgem as grandes oportunidades de se fazer o bem a si mesmo e aos outros, voce não esta so podem contar conosco com carinho do teu irmão que te admira e te ama
Marco

Renata Failace disse...

Tia Lisette, estou contigo nesta luta!
Um beijo no teu coração!

Helena C de Araujo disse...

Quem teve familiares vítimas de acidentes de trânsito é capaz de avaliar com ainda mais propriedade o valor inestimável de ações como essa.
Um espaço e uma iniciativa dignos de admiração e de todo o apoio.
Meu carinho, Lisette.

soninha disse...

Por mais que estejamos alertas, a morte sempre encontrará um porquê para tentar se justificar.
Em 2000 quando a minha Adelina se foi após um brutal acidente em que meu filho adotivo dirigia, a colega dela(25 anos,enfermeira) teve morte instantânea, ela (29 anos,enfermeira) foi levada pelo carro da polícia para Vitória da Conquista,porque a cidade mais próxima do acidente não tinha médico,nem enfermeiro (somos enfermeiras,meu esposo era médico e minha filha mais velha é médica), vindo a falecer no dia seguinte.
Somos da área de saúde, honramos o nosso juramento para com o próximo e a vida nos prega esta peça...
Parece-me que tudo conspirou para que ela se fosse.
Depois de se passarem quase 12 anos (24 de abril)ainda busco motivos e digo: se isto tivesse sido assim; se aquilo fora de outra maneira, não teria acontecido...
Quando penso e falo assim é quando a dor mais dói e a vontade de estar naquele carro com ela me é suprema.Quem sabe eu a teria protegido?
Mas eu estava de plantão e ela retornava para Salinas (MG) onde trabalhava no hospital de lá.
Penso que haverá sempre um poste; alguém realizando uma ultrapassagem perigosa; um pneu careca e...a saudade dos nossos filhos,nossa eterna companheira!
Deus te proteja.