Translate

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Mortes de trânsito no Rio Grande do Sul caem 23% em seis anos .

Entre janeiro e novembro de 2016, 455 vidas foram preservadas em comparação ao mesmo período de 2010, ano mais violento nas ruas e estradas gaúchas desde o início da série histórica produzida pelo Detran 

Mortes de trânsito no Rio Grande do Sul caem 23% em seis anos  Tadeu Vilani/Agencia RBS

Por: Débora El
28/12/2016 - 23h24min | Atualizada em 28/12/2016 - 23h34min
Seis anos depois de chegar ao mais alto patamar de letalidade de que se tem notícia, o trânsito gaúcho registra em 2016 o menor número de mortes em acidentes da sua história recente. Entre janeiro e novembro deste ano, salvaram-se 455 vidas em estradas e avenidas do Estado em comparação ao mesmo período de 2010 – queda de 23%.

9 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Passei para desejar um feliz 2017.
Um abraço

Gracita disse...

Que os condutores sejam cada vez conscientes e responsáveis para um trânsito mais humanizado
Que o ano de 2017 seja um manancial de vitórias e conquistas
Desejo que tudo o que há de melhor esteja reservado para você
Beijos

Prata da casa disse...

São boas notícias, felizmente.
Votos de um ano de 2017 recheado de boas energias.
Bjn
Márcia

Existe Sempre Um Lugar disse...

Feliz ano de 2017 com a concretização de todos os sonhos.
AG

Graça Pires disse...

Apesar de tudo, está a melhorar...
Que 2017 seja um ano muito abençoado.
Beijos.

Dona GAM (GAM Dolls - 2) disse...

Bom dia, colega Lisette!
Uma boa notícia, sem dúvida. Onde há conscientização, há vida.
Ei, moça!
Minha primeira postagem de 2017, já está na rede. Passe lá em "GAM Dolls (2)" pra conferir.
Te desejo um novo ano supimpa, repleto de coisas boas.
Abração pra você! :)

Giancarlo disse...

Un felice 2017 per te e famiglia.

Poções de Arte disse...

Isto é realmente uma boa notícia!
Abraços e feliz final de semana.

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa tarde, Lisette,
muito interessante a matéria, mas ainda falta muita conscientização, porém,
penso que há esperança. Obrigada por compartilhar,Beijos!