Translate

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

A IRRACIONALIDADE ANDA SOBRE RODAS

No trânsito, enfrentamos todos os dias as diferenças culturais entre as cidades brasileiras e as outras, mundo afora. Lá fora, existem pessoas e carros, como aqui. Lá fora, os cidadãos são obrigados a cumprir as leis, dirigem com prudência, respeitam os pedestres e os limites de velocidade. Lá fora, os carros foram enquadrados, depois de também terem tomado a paisagem urbana – nada de carros sobre os passeios, praças, canteiros. No Brasil, os acidentes de trânsito matam 50 mil pessoas por ano. Lá fora, um décimo deste número.



A pergunta que me faço todos os dias, a caminho do trabalho, é: qual a origem da insanidade dessas poucas pessoas, em atitudes absurdas contra a prudência, contra os limites de velocidade e contra as medidas para, de fato, garantir a velocidade de segurança nas ruas? É essa minoria que grita sua ira pelas redes, pela mídia, que ataca a fiscalização necessária, distorcendo-a para fúria arrecadatória. 

A fúria real, a que faz vítimas, é a que está atrás de alguns volantes. Se a EPTC instala radares ou câmeras para garantir a segurança e multar os que violam as leis, é apontada por alimentar uma imaginária indústria da multa. Quando um radar é destruído, comemora-se com alarde. A notícia é sempre generosa com os infratores.

Que comportamento irracional é esse de motoristas dirigindo a mais de 70 km/h em ruas locais, onde crianças brincam, correm, onde pessoas convivem? Que comportamento irracional é esse e quem pode explicar o aumento de acidentes com feridos em cruzamentos com sinaleiras? São centenas, e aumentando ano após ano. Quem pode se dar o direito de furar o sinal, colocando em risco a vida de outros, além da sua própria?

Na verdade, a reflexão tem que ser outra. Ninguém pode ficar cego ao que acontece ao seu lado, ninguém pode se omitir quando o limite do razoável é extrapolado. A nossa atitude, na Engenharia de Tráfego, é dar voz e ação aos milhares de anônimos que nos pedem todos os dias para que as leis sejam respeitadas, aos que querem uma cidade mais humana, mais amigável, com trânsito mais seguro e com menos vítimas nas estatísticas.

Ao longo de mais de 15 anos, com o foco maior do nosso trabalho na segurança viária, temos hoje, em Porto Alegre, 186 faixas monitoradas por radar, 316 lombadas físicas implantadas (quebra-molas) e 56 redutores, todos com estudos técnicos e protegendo áreas escolares, hospitais e núcleos comerciais de bairros. Os acidentes fatais já reduziram muito (quase 20% em 10 anos), mas não no patamar necessário para uma cidade igualitária e que prioriza o bem-estar coletivo. 

A engenharia planeja, sinaliza, avalia, impõe limites de velocidade, mas muitas vezes ainda é derrotada pela imprudência dos motoristas, pelo seu descaso e comportamento irracional. Este é o jogo que precisamos virar: a lógica de segurança viária precisa do comprometimento real de nosso 1,52 milhão de pessoas.


                                                                

ARTIGO

CARLA MEINECKE*

32 comentários:

ONG ALERTA disse...

Acredito que existe muita imprudência ,mas falta responsabilidade de infra estrutura, governos fazem pouco caso, o numero de veículos aumentou e continuamos a usar as mesmas estradas, vias e ruas....sem um projeto a longo prazo.

Ana Bailune disse...

As pessoas sempre acham que nada de ruim vai acontecer a elas. Até o dia em que acontece.
Acho que é por isso.

Nal Pontes disse...

Infelizmente a imprudência aumenta e quantas pessoas deixam de usar cinto de segurança.
Infelizmente, é isso sempre achando que nada pode acontecer consigo, só com os outros. Parabéns pelo poster e alerta. Bom dia amiga. Bjs

Ivone disse...

Bom dia amiga Lisette!
Bom texto, como sempre, acho que carro, quaisquer tipos de veículos, são continuação do nosso corpo, sendo assim os cuidados deveriam ser dobrados.
Estamos todos sujeitos aos acidentes, dirigir com cautela, sem estar embriagados, mas não é o que se vê, infelizmente!
Abraços apertados!

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

A excelência dos texto que produzes levam-nos a meditar sobre as causas que levam as pessoas a se tornarem tão indiferentes.

Beijo
SOL

Mariangela do Lago Vieira disse...

Que ótimo texto Lisette.
E é exetamente isso, a irracionalidade andando sobre rodas. Infelizmente!
Só acordarão quando o pior acontecer... Não poderia ser antes?
Um grande abraço amiga!
Mariangela

Arione Torres disse...

Oi amiga, desculpe a ausência, aos poucos estou voltando.
Te ofereço dois presentes, fique à vontade para pegá-los se quiser:
http://arionetorres.blogspot.com.br/2016/02/o-jardim-da-vida.html

http://cantinho-dos-baixinhos.blogspot.com.br/2016/02/pinturas-de-criancas-4-

fevereiro.html

Tenha uma excelente semana, beijos e fique com Deus!!

O meu pensamento viaja disse...

As pessoas viram monstros quando conduzem. A psiquitria explica.
Beijo

Crocheteando...momentos! disse...

Lisette...realmente quem anda na estrada entende e bem a sua mensagem!
Há gente que nunca deveria conduzir pois põe em perigo meio mundo!
Deveria haver mais controlo sobre os condutores!
Bj amigo

Crocheteando...momentos! disse...

Lisette...realmente quem anda na estrada entende e bem a sua mensagem!
Há gente que nunca deveria conduzir pois põe em perigo meio mundo!
Deveria haver mais controlo sobre os condutores!
Bj amigo

Gracita disse...

Oi Lisette
Infelizmente no Brasil se vive a cultura do "Não é comigo" e se fazem de cegos, surdos e loucos e saem pelas ruas e rodovias pondo em risco vidas humanas
Enquanto não se mudar essa cultura a irracionalidade vai prevalecer e inúmeras vidas serão ceifadas
Um beijo e ótimo final de semana

Lu Citadin disse...

Arrogância,imprudência,falta de planejamento,andam de mãos dadas com a irresponsabilidade de motoristas e poder público.

Zilani Célia disse...

OI LISETTE!
MOTORISTAS QUE ATRÁS DE UM VOLANTE SE SENTEM DEUSES E SENDO ASSIM, PODEM DISPOR DA VIDA DOS PEDESTRES.
MUITO BOA TUA POSTAGEM.
ABRÇS

http://. zilanicelia.blogspotcom.br/

Toninho disse...

Lisette os questionamentos do texto dizem muito desta coisa que chamamos de cultura, que na realidade é falta de educação mesmo.É fruto da impunidade reinante no país.
O governo brinca de controlar e se beneficia em multar e multar e o povo continua com as mesmas infrações e reincidentes.
Estava eu a noite numa pequena cidade alemã voltando a pé de uma pizzaria quando chegamos numa sinaleira esta estava fechada para pedestre todos parados aguardando e o meu pé coçando para atravessar a pequena rua que quase não passa carro. Eu senti o que é a disciplina. Em outra vi alguém parar o carro numa rua de sentido único para uma pessoa descer, os outros carros aguardaram silenciosamente, imaginei aqui o show de buzinas. Esta é a diferença.
Um lindo domingo amiga e que a nova semana seja bela e leve.
Deus nos proteja todos os dias nesta selva.
Bjs de paz.

Anete disse...

Penso que com prudência podemos evitar muitos acidentes... Apesar da falta de estrutura!
Bom domingo...

Rita Sperchi disse...

☆*´¨`☽   ¸.★*´☽   ¸.★*´☽
(  ☆*🍃🌺🍃Bom dia...
Passando para deixar um abraço pela
nossa amizade, que seja lindo seu dia
e tudo continua gratificante por aqui
Bjusss com carinho!

└──●► *Rita!!

Tetê disse...

Oi Lisette! O trânsito que mais me impressiona é na China. Olhando é uma perfeita desordem, mas eles conseguem lidar tão bem, se respeitam, dão passagem... Aqui, com tantas leis e regras é uma bagunça só! Bjks e uma semana repleta de bençãos. Tetê

ॐ Shirley ॐ disse...

Falta de Educação e de Consciência...
Grande abraço, Lisete!

Marineide Dan Ribeiro disse...

Não desanime minha cara amiga. Um dia eu creio que as coisas irão mudar!

Bjussssssssssssssss

Bell disse...

Obrigada pelo carinho no dia do meu niver.

bjokas =)

© Piedade Araújo Sol disse...

Lisette
se todos respeitassem o próximo e os sinais muito podia ser evitado, mas...
:(
Boa semana
Beijo
:)

O Árabe disse...

Belo artigo, Lisette! Muito boa a iniciativa de divulga-lo, amiga; boa semana!

Ailime disse...

Boa noite Lisette, um texto cheio de questões que nos fazem pensar.
Um conjunto de circunstâncias levam a que haja muitos acidentes, mas o desrespeito pelas regras é talvez o maior causador. Com muita persistência chegaremos lá. Bjs e boa semana.

Ghost e Bindi disse...

é justamente a falta do bom senso e respeito pela vida, demonstrado pelo autor do texto, que transforma as ruas em praças de guerra...
Abraços!
Bíndi e Ghost

CÉU disse...

Só a Lei da Força pode modificar a situação, pke a mente de muitos não muda mais.

Beijos, Lisette!

Emília Pinto disse...

Belo artigo, Lisette! O ser humano não respeita o outro mesmo convivendo num prédio de apartamentos, imagina se o vai respeitar na rua tendo à mão uma arma mortifera que lhe dá um certo status. Sente-se um rei dentro de uma maquina possante e as leis não são para ele. É preciso uma mudança de mentalidade que só se consegue com educação dada desde o berço. Amiga, beijinhos e um bom fim de semana
Emilia

Rita Sperchi disse...

Bom texto é nele que temos que nos espelha
pra deixar tudo mais perfeito, coisas que não
existe..Pq educação é fraca nesse Pais

Abraços com carinho!

└──●► *Rita!!

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, Lisette.
Pois é, tudo é uma questão de educação no todo;
Infelizmente, nosso País não é educado em nada, desde a jogar lixo nas ruas como se fosse algo normal, a banalizar a vida humana burlando leis, matando e achando que nada acontecerá.
Não são com eles, portanto, o próximo não os importa, infelizmente.
A cultura dos outros países é bem mais lógica e humana, não fazem o que não gostaria que fossem feito com eles.
Vivemos num caos, e seu espaço, é uma luta de grande valia e alerta!
Vândalos ao volante, quando acabará por aqui? Não sei!
Tenha uma semana de paz!
Beijos na alma.

Ivone disse...

Bom texto que ajuda a muitos pensarem e repensarem as atitudes nas ruas e no trânsito, a educação básica das pessoas começa em casa, infelizmente se vê adultos dando mal exemplos, as crianças são muito mais inteligente do que muitos pensam, portanto...
Amei ler, abraços amiga Lisette!

Élys disse...

Um texto excelente. Infelizmente a maioria das pessoas dirigem sem o menor cuidada, pois estão .
quando dirigindo com o pensamento longe, apenas visualizando mal o que esta sua frente.

Roselia Bezerra disse...

Boa Tarde, querida Lisette!
Tenho percebido que a maioria dos motoristas andam descarregando a raiva no trânsito e nem gosto de andar no carona mais... a gente vê de mais perto as barbaridades no trânsito... é pena!
Bj muito fraterno

Profª Lourdes disse...

Olá amigas já estava com saudade de vir aqui, estou muito ausente , não só com as visitas mas com as actualizações nas pastagens dos meus blogs. Problema de saúde na família e agora minha mãe precisa muito das filhas e todas temos que da as mãos e cuidar de quem cuidou de nós a vida toda. Quando tudo passar e voltar ao normal voltarei, se Deus quiser.
Grata pelo carinho e por não esquecer o meu cantinho. Abraço fique na paz de Deus com muita saúde. Lourdes Duarte