Translate

domingo, 6 de julho de 2014

Cuidar da vida no trânsito é causa HUMANITÁRIA!



Quando se fala em causa humanitária logo vem a mente campanhas mundiais como “salve as crianças africanas da fome”, “salve as meninas indianas de estupros”, “ajude os médicos sem fronteiras” e tantas outras causas nobres. Mas, considerando os mortos, feridos e sequelados em acidentes, temos pela frente a causa humanitária e o desafio de protegermos a vida no trânsito. A nossa e a dos outros.

O que torna os cuidados com a vida e a segurança no trânsito uma causa humanitária é que o trânsito é feito, acima de tudo, por pessoas, por vidas humanas e não pelos pseudo encouraçados de lata sobre motores e rodas.

Trânsito é feito de gente, até porque os veículos não saem por aí sozinhos. E é essa gente que conduz os veículos e que mais mata e morre no trânsito que transforma os acidentes em genocídio (assassinato deliberado de pessoas) e em problema de saúde pública.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS) os acidentes de trânsito são considerados epidemia, e já no ano de 1900, o Ministro do STJ, Viveiros de Castro, dizia que os acidentes automobilísticos já se constituíam uma epidemia tão mortífera quanto a febre amarela. Passados 114 anos, é difícil alguém morrer de febre amarela, mas em acidentes as mortes são diárias.

O que morre de pessoas no trânsito no Brasil dá para encher os 12 estádios da Copa do Mundo, o equivalente à queda de um avião da Malaysian Airlines por dia.
Por mais que se insista em olhar para as estatísticas como números e ao comentar as mortes diárias no trânsito como “mais uma”, não se trata de números nem de estatísticas, tampouco de percentuais. Tratam-se de vidas humanas que poderiam ser poupadas ainda tão cedo para que pudessem continuar entre nós, entre suas famílias órfãs. Para que continuassem simplesmente a viver.

Os acidentes de trânsito não escolhem suas vítimas, assim como quem morre nunca tem escolha diante da sentença imposta por alguém que cometeu uma infração que se transformou em acidente, dor e sofrimento.
Em minhas palestras e artigos procuro tratar o assunto sempre de forma cautelosa e respeitosa, pois nunca se sabe quem entre as pessoas está vivenciando o momento da perda de uma vida dessa forma.
Mortes no trânsito mudam o curso de tudo e vão até contra as leis da natureza que dizem que não é normal os pais, muitos deles idosos, enterrarem seus filhos.

O que caracteriza uma causa humanitária é a luta para proteger a vida de bebês, crianças, pessoas de idade mediana e idosos contra toda forma de opressão, de violência, de desumanidade, de atrocidades, de abusos e da afronta à dignidade e aos direitos humanos. Lembrando que a bandeira dos direitos humanos e de todas as causas humanitárias é a vida!

O que dizer, então, das consequências dos acidentes de trânsito (mortes, sequelas temporárias e permanentes, custos intangíveis) que ferem o mais humano dos direitos que é manter-se vivo?
Se pararmos para lançar um olhar sensível para o trânsito e as consequências dos acidentes veremos tanta ou mais opressão, violência, desumanidade, atrocidades, abusos e afrontas à dignidade humana do que em qualquer governo tirano ou guerras mundiais.

Ou serás que atropelar, arrancar membros de ciclistas e jogar em valas fétidas para se livrar do “problema” não é uma afronta a dignidade humana?
Como deveríamos nos reportar ao ato de arrastar o corpo de uma mulher no asfalto abrasivo por cerca 800 metros e ainda tentar se livrar do corpo fazendo manobras com o carro? Barbaridade? Desumanidade?
Quando uma pessoa é atropelada e fica presa ao capô ou parabrisas do veículo e ainda assim o condutor continua dirigindo em fuga, o quanto de afronta à vida e tirania existe nessa violência?
Basta presenciar a fragilidade do corpo humano em um atropelamento para entender melhor sobre violência desmedida. Basta olhar para recém-nascidos e prematuros que receberão o primeiro carinho da estufa porque a mãe, ainda gestante, foi morta num acidente.
Basta um pouco de empatia para se colocar no lugar do outro, experimentar sentir por alguns instantes a dor do outro e imaginar que a dádiva de viver cada dia ao lado de quem amamos não existirá mais.
É por essas e outras que cuidar da própria vida e da vida dos outros no trânsito é uma causa humanitária para a qual a doação não é por telefone, em moedas ou cartão de crédito. Basta resgatar a sensibilidade e a humanidade escondida em alguma dobrinha de si mesmo e trazer isso para as práticas diárias.
Antes eu era só educadora de trânsito. Evoluí e agora sou ativista da causa humanitária de salvar a minha própria vida e a dos outros no trânsito.

64 comentários:

ONG ALERTA disse...

Poucos conseguem perceber....

ONG ALERTA disse...

Tudo pode ser aprendido basta querer....

ONG ALERTA disse...

O trânsito é responsabilidade social!

Ivone disse...

Ótimo texto, grande alerta, sim, quem está motorizado tem de ter maior responsabilidade, é extensão do nosso corpo, tanto é verdade que se sabe como as pessoas são pelo aspecto de seus carros, vejo um carro em mau estado de conservação ou sem nenhum meio de dar segurança, tanto ao dono que o dirige quanto aos que por "desgraça" poderão ser as vítimas desses!
Pensemos, temos de ter mesmo essa consciência!
Abraços linda amiga e te apoio nessa linda missão de ajudar!

Antonio Reis disse...

Um ótimo texto para uma reflexão ampla sobre o transito e a educação que se faz necessária cada vez mais incisiva Lisette.Os números na historia são estarrecedores nestes 114 anos.Há uma violência solta em cada espaço entre o ser e a maquina. Há uma incoerência entre fabricantes e ordenamento das cidades e estradas.Os animais estão cada vez mais ocupando as poltronas das latas com rodas.Uma campanha de amor à vida é fundamental e que ela seja impactante, desde as escolas primarias.
E nos mais que Deus nos proteja nesta selva.
Não podemos deixar de falar do acidente de Belo Horizonte que deve estar na relação de acidentes, pois o viaduto faz parte desta selva e por milagre ainda não estava em uso a parte superior.
Uma boa semana amiga e que a paz esteja presente.
Um abração de solidariedade na luta.

EU disse...

Excelente texto...

O que realmente não se entende é que se continuem a desvalorizar as mortes na estrada, apesar das campanhas das estatísticas, das operações stop, etc, etc.

Apesar de tudo, há que continuar na cruzado do alerta!

Bjo :)

Aline Teles disse...

O trânsito é uma responsabilidade de todos. Se todo mundo tivesse a consciência dos perigos e da importância das regras de uma boa condução, acho que não teríamos tantas notícias ruins sobre acidentes de trânsitos. Porém, vivemos no mundo daqueles que acham que sabem tudo (infelizmente). Beijos.

Lu Citadin disse...

O Comportamento precisa mudar!!!Precisamos repetir as boas praticas.

LUCONI MARCIA MARIA disse...

Excelente também vejo assim, é ação humanitária, é responsabilidade com a vida do teu próximo, é necessário atitudes, tudo pode mudar se transformar é só o ser humano querer, beijos Luconi

Pedrita disse...

há causas que não aparecem tanto e muitos que querem fazer trabalhos sociais querem aparecer. até pra ficar bem frente a sociedade. bom, o ser humano quer ser reconhecido, mas alguns vão além. então fazer ações pequenas que ninguém vê muitos não querem.

Lucimar da Silva Moreira disse...

Todos nós somos responsáveis, Lisette beijos.
Blog /Fan Page / Twitter /

Crocheteando...momentos! disse...

Todos se cuidássemos melhor do trânsito...não haveria tanto acidente e muito menos incidentes!
Gostei!

O Árabe disse...

Texto forte e educativo, muito bem complementado pelas observações pertinentes. Mais uma excelente escolha, Lisette; obrigado, boa semana!

Nilson Barcelli disse...

Qualquer campanha de sensibilização que faça diminuir o número de mortos e feridos é humanitária.
Um magnífico texto, que todos os condutores deveriam ler.
Tem uma boa semana, querida amiga Lisette.
Beijo.

Simone Felic disse...

Tem toda razão , os carros não saem sozinhos e se acontecem estes tragicos acidentes é por que alguém não teve bom senso , acho que o transito está matando mais que as doenças.
bjs e boa semana.
http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

Artes e escritas disse...

É! Concordo! Um abraço, Yayá.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Alessandramiga

Excelente texto sobre um tema que por vezes é difícil de abordar tantas são as infracções no trânsito das ruas, avenidas, estradas e mais, com são as infracções no trânsito das palavras...

Mas se não formos nós, todos nós a mudar as coisas , os trânsitos nunca mais melhoram. Porque das palavras aos actos vai uma distância a que chamam civismo, mas que eu prefiro dizer boa-educação!

… mas se quiseres ver e saber mais coisas de Caxemira sem pagar bilhete nem visto, vai até à minha Travessa sff. Obrigado.

Qjs

Bell disse...

Percebo que cada dia mais é complicado dirigir, temos que dirigir por nós e pelos outros.


bjokas =)

BIA disse...

Verdade! É preciso humanizar o trânsito e as próprias pessoas que nem parecem mais humanas e sim desumanas!
Boa semana Lisette! :)
Bjs

Sotnas disse...

Olá, e que tudo esteja bem contigo!

Concordo com o teu texto, porém grande parte das pessoas somente acreditam que existe a dor e o sofrimento quando estão sentindo, pois as mesmas pessoas que atropelam, são as mesmas que quando tem algum ente querido atropelado implora aos céus exemplar punição aos culpados, ou seja, as pessoas somente procuram agir de maneira consciente quando sente na própria pela, ou mesmo na família.

O que se observa no trânsito é desanimador, pois antes de poder ser condutor as pessoas recebem orientações, mas, grande parte se considera sábio (esperto) demais para usar na prática o que aprendeu, já ouvi até alguns dizendo que tantas placas e regras, ou mesmo as recomendações são perda de tempo, e assim vamos convivendo e sofrendo perdas por conta destes verdadeiros assassinos disfarçados de cidadãos!

E já que por cá estou, aproveito para agradecer por tuas gentis visitas e comentários por lá e deixar meu desejo para que seja sempre deveras intenso e feliz o teu viver, um grande abraço e, até mais!

Anne Lieri disse...

Lisette,que excelente esse texto que é um alerta e tanto! As pessoas andam tão insensiveis que tudo se torna comum e precisamos ficar alertas para que isso não nos aconteça! Bjs e boa semana pra vc,

Flor de Jasmim disse...

Mais um texto que alerta o perigo, a falta de responsabilidade e acção humanitária, conduzir é algo que exige respeito por nós e pelos outros.

Boa semana Lisette.

beijinho e uma flor

Bandys disse...

Texto muito bem escrito. Não há nada que não se pode apreender.
Adorei o novo visual do blog. Ficou bem bonito.

Luz e paz sempre, porque a vida é só por hoje.


Beijos

Profª Lourdes disse...

Boa noite amiga, vim agradecer a visita no meu cantinho, que é muito significativa. Obrigada. Desculpa a demora nas visitas e hoje por está com um recadinho pronto. Início de aulas, planejamento, organização de cadernetas, tenho escrevido muito e neste período frio e hora quente, o reumatismo me ataca e complica tudo. Só quem tem dores nas articulações sabe como é ruim, vencemos as dores para não parar de vez. Mas tudo passa, maior foi o sofrimento de Jesus por nós.
Só tenho a agradecer a Deus pela vida!
Parabéns por mais esta maravilhosa e importante postagem.

Uma boa semana, que Deus lhe dê sabedoria para alcançar o que pretende, uma noite de muita paz. Abraços
Lourdes Duarte

Lilasesazuis Gata disse...

A vida humana tem que ter valor em todos os âmbitos, principalmente no trânsito.

Educação, educação!!

A cada ano cresce o número de veículos que são dirigidos por pessoas, que devem amar a si e ter respeito pela vida do próximo.

Mais do que nunca, precisamos de muita responsabilidade e amor à vida!!

Querida, tenha uma bonita semana,

beijinhos, Lígia e =^.^=

Ailime disse...

Boa tarde Lisette, um texto muito sensível mas colocado de forma muito inteligente!
Como diz "o trãnsito é responsabilidade social"!
Um beijinho e continuação de boa semana.
Ailime

Silenciosamente ouvindo... disse...

Concordo perfeitamente que é
uma causa humanitária e que a
amiga cumpre de uma forma
exemplar. Pena que muitos
não queira saber...
Desejo que esteja bem.
Irene Alves

Vanuza Pantaleão disse...

Lisette, querida, eu sempre deixei e deixarei sempre bem claro o quanto aprovo e admiro o seu trabalho de conscientização sobre esse gravíssimo problema dos "poderosos dos carrões" que assola o nosso país. Essa gente é despreparada para a vida, gente tola, gente de miolo mole e incapaz até de dirigir um carrinho de mão.Mas, infelizmente, o "sistema" quer vender, vender e vender. O lucro sempre esteve acima da vida humana nesse nosso infeliz país.
Beijos no seu coração! Te adoro!

Mariangela disse...

Oi Lisette que ótimo texto, precisamos mesmo humanizar o trânsito, sempre há tempo de aprender!
Um beijo!
Mariangela

Tetê disse...

Oi Lisette! Um texto muito bom esse! O volante de um carro pode ser uma arma mortal! Bjks Tetê

Elvira Carvalho disse...

Um excelente texto. Em Portugal também morre muita gente nas estradas. Por inconsciência de uns, e descuido de outros.
Um abraço

Rosemildo Sales Furtado disse...

OI Lisette! Passando para agradecer a tua visita e amável comentário, assim como apreciar este belo e oportuno texto.

Beijos e uma ótima semana para ti e para os teus.

Furtado.

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Lisette
É verdade! Trânsito é feito de gente... de pessoas e temos que ter responsabilidade social ao dirigir...
Bjm fraterno de paz e bem

São disse...

Excelente alerta.

Por vezes ficamos nos "grandes" salvamentos e esquecemos aqueles que estão mesmo à nossa beira.

É por isso, que me irrita a acérrima campanha contra o tabagismo e que pouco se faça contra o consumo de álcool.

E estou à vontade porque não fumo de só bebo socialmente.

Boa semana

Maria José Rezende de Lacerda disse...

Perfeitos os seus comentários. Bjs.

Célia Lima disse...

Oi Lizete um ótimo texto como já disse os nossos colegas.
Acho que não sobrou mais nada a dizer, a não ser que precisamos ficar mais atentos e temos que ter mais responsabilidades no trânsito.
Fazem tantas leis mas ficam só no papel, ninguém cumprem a começar dos criadores, e das autoridades. Agente vê nas estradas cada barbaridade feita por eles...Nossa ninguém merece! E na oportunidade venho lhe fazer um convite
O ostra da poesia esta fazendo a sua nona pena de ouro e venho convidar vc e seus amigos ou como participante ou como votante. Cujo link é esse :http://ostra-da-poesia.blogspot.com.br/ Posso contar com vc?
Bjsss e fica com Deus

Mirtes Stolze. disse...

Boa noite Lisette.
Uma ótima postagem, dirigir é uma responsabilidade grande pois não só pode destruir a propria vida,mas a dos outros, infelizmente se tem muito pouco consciência da tamanha responsabilidade.
Abraços.

SOL da Esteva disse...

Magnífica e oportuna Postagem. Na verdade as gentes se direccionam para um tipo de solidariedade; na verdade, tudo o que ajuda a viver, é solidariedade.
Parabéns. Estou contigo.



Beijos


SOL

Lita Duarte do Brasil disse...

Somos responsáveis por tudo que fazemos, mas muitos não querem nem saber.

Bom texto.

Bjs.

Anete disse...

Sim, uma responsabilidade social! Aprender!!

Mudar é preciso.................

Beijos e boa 5ª feira.........

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Um texto muito verdadeiro, infelizmente as pessoas não se sabem que ter um carro nas mãos é como ter uma arma.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa noite,
mais prevenção que possa existir as vitimas aumentam causado pela pressa e pela fala de respeito pelos outros.
A falta de consciência leva ás manobras perigosas e a grandes velocidades, pensam os irresponsáveis que os acidentes só acontecem com os outros.
Fique bem
AG
http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

Lilá(s) disse...

Um texto excelente!se cuidássemos mais do transito não haveria tanto acidentes.
Bjs

Rita Sperchi disse...

Um bom texto amiga, pena que muitos não consegue ficar bem e ser educado no transito
Sei bem como é...

Abraços de sempre


└──●► *Rita!!

Dorli disse...

Oi Lisete
Falta de leis severas no país. Eu tenho consciência que não posso dirigir, renovo a carta para talvez um socorro na minha pequena cidade.
Renovar a carta hoje é como beber água.
Temos falta de vontade política.
Aliás, está tudo errado.
Beijos
Lua Singular

Araan disse...

Ótimo texto, Lisette
Todos nós somos responsáveis
Beijos....Araan

Bruxa disse...

Hoje ao vir pro trabalho pensava sobre isso qdo fui ultrapassada numa rua estreita e com lombadas... Todos temos fases, principalmente qdo somos novos e nos achamos super-homens. Pegamos o carro e achamos que a avenida é pista de corrida, mas aprendemos. O ruim é quando com tantas campanhas e tantas informações, muitos ainda insistem e dirigir perigosamente. As épocas de jogos e festas são as que mais me preocupam, pois apesar da "lei seca", a bebida é ingerida aos baldes e logo em seguida muitos pegam seus carros e saem por aí pra "comemorar".

Um dia de paz pra vc.
Abração.

Carlos Hamilton disse...

Excelente texto.... Só depende de nós com certeza.

Abraços

Denise disse...

Esse texto mexe com os nossos sentimentos e nos leva a reflexões. Precisamos parar de encarar as mortes como mais uma. É necessário sair da frieza. Muita paz!

Minha vida de campo disse...

Uma bela dica, vamos cuidar do trânsito. Fico admirada de ver tantas imprudências pelos motoristas, e também feliz de ver tantas barbeiragens não resultar em graves acidentes.
Bjos tenham um ótimo fim de semana.

José María Souza Costa disse...

Olá, Alessandra


Meus desejos de um maravilhoso, bom fim de semana. Mas, quero falar de futebol, já que estamos, no período de reta final, da Copa do Mundo. Vamos falar sim. Mas, lá no meu blogue. " Tô te esperando "
Abraços

Lu Nogfer disse...

O povo precisa entender que cada um tem grande parcela a colaborar.

Obrigada pela visita. Em breve volto ao ritmo normal.

Beijos

Graça Pereira disse...

Todos têm que entender que, se não houver cuidado e toda a diligência no trânsito, haverá mortes, famílias destroçadas, pessoas com problemas para toda a vida e amarrados a uma cadeira de rodas...vidas truncadas e ceifadas antes do tempo.
Uma chamada de atenção cinco *****
beijo
Graça

Fê blue bird disse...

Cada a cada um de nós lutar para mudar estas estatísticas!
FORÇA MINHA AMIGA!

beijinho

Antonio Reis disse...

Um bom domingo Lisette.
Um abração.

Nilson Barcelli disse...

Enquanto a sociedade não condenar abertamente as atitudes de risco na estrada, os acidentes não vão diminuir drasticamente...
Querida amiga Lisette, tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
Beijo.

Magia da Inês disse...

°º。✿⊱
Sabe, amiga? Voltei de BH ontem e vi na BR cada absurdo!!!
O que falta aos brasileiros é educação, me desculpe a franqueza, mas desde o berço, anda faltando educação em todos os sentidos!...

Bom domingo! Boa semana!
Beijinhos.

º°。❤彡

Ghost e Bindi disse...

Lisette, temos acompanhado as queixas via tv, dos impostos cobrados no Brasil para veículos fabricados aqui, mesmo assim já temos um trânsito no limite, com engarrafamentos sem fim. Ficamos a pensar se esses impostos fossem menores, talvez o número de vítimas tb fosse maior, então só nos falta educar, mas principalmente...cada um ter a consciência de que um veículo mal dirigido, por condutores débeis, é uma arma apontada para todos nós.

Ghost e Bindi

© Piedade Araújo Sol disse...

sim, um grande alerta este texto.

:)

O Árabe disse...

Humanitária, sim, Lisette. E, mais do que isto, em defesa da VIDA! Parabéns, amiga, pelo seu belo trabalho; boa semana!

O Sibarita disse...

Ô moça! kkk Claro que sim, transito é responsabilidade social!

O problema é que as pessoas são egoístas, só pensam nelas, o semelhante que se lenhe, repare... kkk

O texto, muito bom, muitos deveriam ler e refletir!

O Sibarita

Luma Rosa disse...

Oi, Lisette!
Se cada um de nós abraçasse de verdade qualquer causa que preservasse a vida, bastaria para que ela fosse valorizada. As pessoas teriam a consciência de que só temos uma oportunidade para vivê-la e não a colocariam em risco!
Boa semana!!
Beijus,

Sônia Silvino, Crazy about Blogs! disse...

É um dever ser um motorista responsável e não cometer imprudências. Mas na realidade... muitos ignoram as consequências de seus atos imaturos.
Beijos!

EU disse...

Excelente texto.
Subscrevo. A causa maior é sem dúvida a de salvar vidas.
Excelente trabalho o teu neste espaço.
BJO :)